“Chamado. Eleito. Fiel”.
por T. Austin-Sparks

Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis”. Apocalipse 17:14.

Em certo sentido, estas três palavras representam uma graduação de uma esfera de provação para outra. Embora possamos ser “escolhidos Nele antes da fundação do mundo”, é também verdade que no assunto do serviço confiado e intimidade honrosa com Deus, a escolha é daqueles que “retém firme seu chamado e eleição”.

Deus inicia todos seus tratos conosco por um chamado. “O chamado de Deus”, para ser útil, deve ser pessoalmente sentido e percebido pelo homem interior. A carne pode ouvi-lo; como aconteceu aqueles que iam com Paulo, eles podem ter sido jogados ao chão pela glória da revelação; seus sentidos podem ter testemunhado algumas das manifestações exteriores que acompanham o chamado; mas, como Paulo diz, “eles não ouviram a voz Daquele que falou a mim”.

O chamado de Deus contém tanto graça como verdade. A verdade é o instrumento separador. “Sai”. A graça é a promessa. “Abençoarei e farei uma benção”. O homem muitas vezes agarra na graça, o “Abençoarei” de Deus, e falha em consentir com a demanda do “sai”. Ora, isto não só se aplica no assunto de nossa salvação em seus primeiros passos, mas surge em novas revelações e chamados em diferentes momentos da vida cristã. O chamado de Deus para uma mais completa e mais ampla aceitação da verdade e ministério; de testemunho e testemunha; de rendição e experiência, surgirá sem duvida, por uma ou outra das formas divinas da visitação àqueles que o Senhor deseja conduzir na graça. Isto terá um tempo apropriado, definido e desafiador. Um mensageiro pode vir do nada; do nada de reputação, reconhecimento, fama mundana ou honra. Ele entregará uma mensagem, apenas ficando o tempo suficiente para deixar suas implicações essenciais àqueles que ouvem. Então, tendo seguido, as coisas nunca podem ser as mesmas para eles novamente.

Primeiramente publicado na revista “Um Testemunho e Uma Testemunha”, Jul-Ago 1926, Vol 4-4

"Called. Chosen. Faithful."