A Medida de Cristo
por T. Austin-Sparks

“Cristo em vós, a esperança da glória”. (Col. 1:27). Leia todo o versículo cuidadosamente, fragmento por fragmento, para obter a importância completa desta verdade maravilhosa: “Deus quis fazer conhecer – quais são as riquezas da glória – deste mistério... que é Cristo em vós”. As riquezas da glória, Cristo em vós!

“Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós?” (2Cor. 13:5). Essa interrogação do Apóstolo não é sem propósito, “ou não sabeis quanto a vós mesmos” - ou não sabeis que Cristo está em vós? Você não sabe desta coisa maravilhosa?

“Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós” (Gal. 4:19). “Até que Cristo seja formado em vós”; isto é um passo em frente.

“Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho” (Rom. 8:29). Palavras maravilhosas! Nenhum homem ousaria dizer isto; eles estão aqui por revelação do Espírito Santo.

“Mas a cada um de nós foi dada a graça conforme a medida do dom de Cristo... até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus... à medida da estatura da plenitude de Cristo”. (Ef. 4:7-13).

Queremos imediatamente focar tudo em e sobre o Senhor Jesus Cristo, pois é Ele quem está em vista. O que temos diante de nós não é um ensino ou verdade; isto é, para ser possuído de mais conhecimento da verdade; não é serviço; mas é o Senhor mesmo.

O objetivo do Pai do início até o fim é que o Filho, o Senhor Jesus, encha todas as coisas, e todas as coisas sejam enchidas com Cristo. O valor de tudo aos olhos de Deus é segundo à medida da manifestação de Cristo nisso. É a partir dessa perspectiva que Deus determina a importância de tudo.

Se nós ficarmos focalizados lá, fará uma grande diferença, muito teria que ir porque não está manifestando o Senhor Jesus. Devemos entender que o Pai colocou o Senhor Jesus diante de Seus olhos, e os olhos do Pai estão cheios de somente um alvo, isso é o Amado, Seu Filho; e aos olhos de Deus o valor de tudo é determinado pela medida na qual Seu Filho é manifestado e glorificado; esse é o Seu fim e esse é o Seu objetivo.

A Toda-Inclusividade de Cristo

Serviço espiritual, visão, vocação, glorificação, não tem existência à parte de Cristo; elas não são coisas como coisas, e não podem ser tidas exceto na Pessoa do Senhor Jesus.

Para muitos, a salvação é como uma coisa. É isolada e considerada como alguma coisa em si mesma; a ser dada por si só, para o bem daqueles que a recebem. A santificação é envolvida da mesma maneira. Muitas vezes pensamos da salvação e santificação em relação às pessoas em vista, e portanto alguma coisa para elas, mas é Cristo mesmo que é salvação, Ele é santificação, e Ele está no interior como isso.

É o mesmo com serviço e vocação; estas são frequentemente vistas apenas com respeito às pessoas em si. “Salvos para servir” é somente parte da verdade e é um slogan perigoso, pois o motivo, muitas vezes, é o serviço em si e não o Senhor. Você pode ser tão motivado pelo serviço que Ele chega a ser deixado de fora. Temos isolado a coisa da Pessoa, e percebemos que estamos agarrados e envolvidos nas alegações do “serviço”; torna-se o ímpeto do serviço, e no final nos quebra. E novamente, quando o serviço se torna duro e difícil, dizemos que vamos a desistir, vamos resignar, demonstrando assim que temos separado o serviço da Pessoa, e temos estado ocupados, dia após dia, com isso, a obra, e não com o Senhor mesmo.

E do mesmo modo com a glorificação; sim, isto nos mexe, amamos cantar hinos sobre nossa glorificação; mas Deus o pretende para começar agora, e deve começar agora. Que é a glorificação? É a plena manifestação de Jesus Cristo em nós. Deus considera a salvação, santificação, vocação, serviço, glorificação, como relacionado a Seu Filho, e de nenhum valor à parte Dele; Ele é salvação, Ele é santificação, etc.

A salvação e santificação são muitas vezes apontadas para pessoas como coisas a serem recebidas para o bem delas; o objeto sendo para elas se beneficiarem de alguma coisa recebida; muitas vezes é salvação por causa da salvação. Deus não tem salvo uma só alma por causa da salvação. Deus não está atrás da salvação como um fim em si mesmo, mas por causa do Salvador, para a glória do Seu Filho. Não é salvação que está em vista, mas o Salvador. Se as pessoas estão regozijando-se na salvação meramente como alguma coisa recebida para seus próprios benefícios, o fim pleno será escondido no primeiro passo. Não é esta a causa de detenção e atraso?

O obreiro tem que ser trazido, pelo caminho de não estar vendo profunda plenitude de resultado da sua obra, para o lugar onde ele clama, “não posso fazer nada”. Para que ele venha a ver a verdadeira natureza da salvação, e que para salvar uma outra alma está totalmente além dele, mas é a obra de Deus. Deste modo, ele chega a ver o objetivo de Deus na salvação, a qual é a glória do Seu Filho. A salvação não é algo, é a entrada poderosa de uma Pessoa; “Quem tem o Filho tem a vida”; (1João 5:12). “a todos quantos O receberam” (João 1:12).

Isto também é verdadeiro no assunto de santificação e serviço. Qualquer serviço que não é cumprido no terreno da habitação interior de Cristo como o Obreiro, não pode efetuar o propósito de Deus, pois unicamente o Senhor Jesus pelo Seu Espírito pode realizar a obra de Deus. Sim, você é chamado para ser um servo num serviço que você nunca pode cumprir! Serviço é o trazer de Jesus Cristo à vista, e qualquer serviço que não faz isso, não é serviço do Espírito Santo, mas serviço do homem que não cumpre os fins de Deus; será testado pelo fogo, e provado ser sem valor.

O cristianismo não é uma doutrina, não uma verdade como verdade, mas o conhecimento de uma Pessoa; é conhecer o Senhor Jesus. Você não pode ser educado para ser um cristão. O cristianismo é o conhecimento de uma Pessoa, conhecê-Lo como habitando dentro de nós.

A Universalidade de Cristo

Deus apontou uma Pessoa, e reuniu nessa Pessoa toda a perfeição Divina; tudo é inseparavelmente ligado a Seu Filho; Ele colocou toda a plenitude da eternidade e do Universo na Pessoa, e ligou toda a plenitude Nele; nenhum fragmento pode ser tido à parte Dele; aquilo que é para caracterizar a nova criação está Nele. O fim predestinado de Deus é uma apresentação completa da plenitude de Cristo - “A Igreja, o Seu Corpo, a plenitude Daquele que enche tudo em todas as coisas” (Ef. 1:23).

Cada canto do universo falará audivelmente de Jesus Cristo; para que nós não sejamos capazes de ir a um lugar, ou tocar uma vida, sem que achemos uma expressão do Senhor Jesus.

“Cristo em vós, a esperança da glória” - isto é o céu. Você anda na presença do Senhor Jesus. Pense de todo o universo dessa maneira; uma expressão universal do Seu Filho em plenitude. Esse é o fim que Deus tem em vista, que Cristo encha todas as coisas; que, ao olhar para tudo, seja achado estar cheio de Cristo. Tudo é feito para Ele, e na nova criação tudo falará da Sua presença e mostrará uma característica Dele. Ó! A alegria, mesmo agora, quando você toca uma vida e percebe imediatamente que essa vida está cheia do Senhor Jesus, e o Senhor Jesus é a plenitude dessa vida; que benção é!

Deus apontou uma Pessoa e O apresentou para ser visto de todos – o Homem Cristo Jesus.

A Universalidade da Igreja

Você não pode sair fora do A e Z no campo da literatura; você confina a extensão da linguagem com A e Z; do mesmo modo Cristo Jesus é o Primeiro e o Último da criação de Deus, e tudo o que fica no meio; você não pode sair fora disso. Nós nunca podemos pensar de alguma coisa como estando fora de Cristo; Ele é Salvação, Ele é Santificação; Ele é Redenção, Justificação, Paz, Sabedoria, Amor, Céus. “Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós” este Cristo – em você! Você vê as possibilidades e o alcance tremendo disto?

Deus transformará o Seu universo, não a partir de fora, mas a partir de dentro. Como? Colocando Jesus Cristo dentro do crente pelo Seu Espírito Santo; daí haverá uma atividade dupla – sendo conformado a Ele pelo Seu Espírito, e Ele sendo formado no crente; assim Ele vai fazer a Sua nova criação.

“Cristo em vós, a esperança da glória” (Col. 1:27). “Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em Seu Filho”. (1João 5:11,12).

“Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é Dele” (Rom. 8:9).

“O Senhor Jesus Cristo: que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória, segundo o seu eficaz poder de até sujeitar a Si todas as coisas” (Fil. 3:20b,21).

“E vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos” (Col. 3:10,11).

“A igreja, a qual é o Seu corpo, a plenitude Daquele que enche tudo em todas as coisas” (Ef. 1:22b, 23).

Crescendo Nele

A vida cristã não é pela força, e nem pela luta; nem meramente pela tentativa de pôr em prática certas máximas, ou pela tentativa de atingir uma certa medida; mas do principio até o final, e tudo junto, é uma questão de conhecer o Senhor Jesus no interior. Obviamente isto implica resposta a Ele, e uma submissão continua à Sua obra pelo Seu Espírito no interior, e assim cooperando com Ele em Seu propósito de conformidade à imagem Dele.

Todos nós temos crescido desde que nascemos. Como nós crescemos? Não sentando e considerando que nós devemos aumentar nossa estatura; não determinando crescer um tanto hoje, e um pouco mais amanhã; não mediante esforços dolorosos para aumentar nossas dimensões, e assim por diante; mas nós “só crescemos!” - como Topsy. Mas enquanto nós “só crescemos”, tínhamos que responder às leis do crescimento. Desse modo, na esfera espiritual, temos que reconhecer às leis do crescimento, e onde seja que estas não forem respondidas, ou são violadas, não pode haver crescimento, mas detenção, fraqueza e perda.

Por que o crescimento espiritual é tão lento em alguns e tão gloriosamente rápido em outros? Porque alguns chutam e questionam, ou argumentam com Deus; dão voltas e voltas ao ponto perguntando, quer dizer isto? Devo fazer isto? É necessário? Posso, posso fazer isto? E assim por diante. Contudo, estas mesmas pessoas são mais barulhentas em dizer que elas querem somente a vontade de Deus; mas suas próprias afirmações frequentemente mostram que uma luta está acontecendo, e seus crescimentos estão repletos de uma boa dose de atrição.

Outros, numa sinceridade bela e pureza de espírito, estão imediatamente deixando-se levar ao Senhor, assim Ele é capaz de levá-los, sem perca de tempo em controvérsia com a vontade de Deus; e não existe fraqueza por não estar havendo um abandono total e obediência de todo coração e rendição a essa vontade. Existe uma paixão pelo Senhor mesmo, e para Ele ter o Seu caminho pleno a qualquer custo.

Tudo depende de nossa apreciação do Senhor Jesus. Quando obtemos um valor verdadeiro Dele, e vemos tudo o que Ele é por nós para o Pai, e conforme nós, pela fé, nos apropriamos Dele, tranquilamente crescemos – Contemplando... o Senhor, somos transformados (transformado a partir de dentro) de glória em glória na mesma imagem” (2Cor. 3:18).

O empecilho para o crescimento é o relacionar coisas como à parte da Pessoa, o Senhor Jesus. Nós nunca daríamos voltas pela Escritura, como às vezes fazemos, debatendo se sim ou não, se tivéssemos uma apreciação plena Dele, se nossa paixão fosse para Ele obter a glória mais plena possível; instantaneamente nos renderíamos, para que Cristo possa obter mais glória.

Não é a dificuldade muitas vezes, no nosso relacionar aspectos da vida cristã como alguma coisa nelas mesmas?

Uma apreciação adequada do Senhor Jesus livra-se de toda a tensão do crescimento espiritual. Cristo é mais glorificado onde Cristo está mais no coração. Crescimento está ligado ao Amado; e o crescimento é o resultado de estarmos ocupados com Ele, dando ao Senhor Jesus o Seu lugar em tudo; Ele o primeiro, e Ele tudo, e em todas as coisas. Conclusivamente, é uma questão da medida de Cristo, devemos ver que tudo está ligado ao Senhor Jesus mesmo.

Tudo é uma questão de conhecer o Senhor em nossos corações, então o Senhor terá um caminho livre em nós, e através de nós.

Fique focado Nele, e veja que Ele mesmo é tudo.

O Evangelho de Deus é que nós somos salvos para sermos conformes à imagem de Seu Filho; para chegarmos à plenitude da “medida de Cristo”, “à maturidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef. 4:13).

Primeiramente publicado na revista “Uma Testemunha e Um Testemunho” Sep-Oct 1931, Vol. 9-5


"The Measure of Christ"