A Força da Igreja
por T. Austin-Sparks

Compêndios de discurso

João 14:25-26, 16:25, 2 Coríntios. 3:2-3, 7:18, Efésios. 1:17, 3:16-20, 6:10 .

“Sede fortalecidos...na força do Seu poder”.

Há uma ou duas coisas em meu coração para dizer, que eu sinto ser de grande importância para nós e para o Senhor neste momento.

A carta aos Efésios não é simplesmente uma apresentação ou concepção da Igreja em sua natureza e existência. Ela apresenta uma enorme e intensa atividade relacionada com a construção da Igreja. Um processo muito enérgico é visto ao longo de toda esta curta carta.

Esta palavra tem principalmente a ver com a “força” - a força da Igreja: acompanhe isto através da Palavra, e muito será descortinado, tanto em relação à natureza da nossa vocação, quanto do caráter do conflito que a Igreja está no tempo do fim desta era.

Quando o Senhor Jesus introduziu pela primeira vez o pensamento da Igreja, Ele disse : “Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. O elemento predominante visto aqui é uma força poderosa. Sim, todas essas persuasões do inferno não prevalecerão contra essa força poderosa de uma rocha e esse pensamento de força está o tempo todo conectado com a Igreja. É a força espiritual em vista, força interior. É a força de “Quem” é “O Que” o Senhor Jesus é como o próprio Deus, Todo-Poderoso.

É muito necessário e essencial reconhecer a interioridade da nova dispensação depois do “Pentecostes”. Tudo agora relacionado ao Senhor Jesus é interior, não mais exterior, objetivo. Ele é Deus no Trono, mas Ele é conhecido experimentalmente através do Espírito Santo interiormente.

Volte-se para a segunda carta a Corinto capítulo 3. A antiga Aliança era uma coisa externa escrita em tábuas de pedra: Paulo trazendo-a para os nossos tempos escreve “escrita com tinta”, mas a nova Aliança não é relacionada a tempo, mas uma Aliança Eterna, não uma escrita exterior, mas algo escrito no interior pelo Espírito Eterno do Deus vivo e gravada em nossos corações.

Oh! Será que percebemos a grandeza deste fato, que é necessário e vital ver que tudo é interior. Isto deve ser reconhecido pelo povo do Senhor. A vida do crente é interior, e tudo que se relaciona com ela é para dentro; e na medida em que a vida do crente é para fora e depende de coisas externas, nessa medida ela será fraca; na medida em que o crente a vida é dependente de encontros e de ser ministrados por outros e conhecer o Senhor somente neste tipo de forma exterior - em vez de conhece-Lo de forma profunda no interior, só em secreto com a palavra e oração - a expressão da vida será fraca e ela não será constituída de força espiritual para a assembleia, e sim trará uma fraqueza (um peso morto, além de um terreno para o inimigo de trabalhar “em” e “de”).

Tudo agora é interior e temos que reconhecer que “tudo” é o próprio Senhor Jesus .

A Igreja é um agregado de indivíduos e por isso é necessário que cada indivíduo conheça o Senhor desta maneira interior, viva essa vida interior, seja dirigido pelo Espírito Santo na “Lei do Senhor” interiormente em seu coração e conheça as coisas celestiais interiormente como entretecido pelo Espírito Santo.

O ponto essencial é este - a grande necessidade, a necessidade desesperada da Igreja ser forte em cada membro individualmente. A grande necessidade deste dia é mais força na Igreja, para que o povo do Senhor seja individualmente forte no Senhor, e assim sejam capazes de contribuir pessoalmente para a assembleia, e sejam um fator forte no Senhor para a realização de Seu propósito.

Em nossos encontros, a força do encontro é determinada pela força do indivíduo. O encontro não é mais forte do que a força da vida secreta de cada indivíduo em sua história secreta pessoal com o Senhor.

Nós não apenas nos juntamos para realizar reuniões, para cantar, para ter um bom tempo: nos reunimos para que haja força espiritual manifesta e recebida através do encontro com o Senhor. (Não estou esquecendo o primeiro e principal objetivo - para adorá-Lo - todo o resto é nada além de adoração d'Aquele para Quem são todas as coisas).

Mas a questão aqui é de força espiritual. A eficácia dos nossos encontros e seu impacto no mundo espiritual é uma questão de força espiritual, quando nos reunimos há demasiadas vezes o aspecto de expectativa passiva em vez de reconhecer o fato de que

nossa reunião deve ser a ocasião para uma poderosa expressão de poder espiritual, para o cumprimento dos fins espirituais.

Estamos diante de grandes forças espirituais

A carta aos Efésios encabeça tudo na esfera da luta em lugares celestiais, onde nada menos do que a suprema grandeza do Seu poder vai cumprir o propósito e possibilitará a Igreja cumprir a sua vocação: esta é a esfera de atividade da Igreja em nome dos irmãos em Cristo em todo o mundo, é uma única batalha em todo o mundo contra o inimigo que está contra a Igreja de Cristo. Oh! podemos reconhecer que há sempre problemas terríveis em jogo quando o povo do Senhor se reúne e deve haver uma forte expressão de poder e influência contra todo o sistema do mal - o impacto do filhos do Senhor reunidos no Nome, deve retardar o adversário e manifestar uma celebração do triunfo de Cristo sobre os Seus inimigos; reunir assim pode representar a conquista da batalha a milhas de distância.

Paulo atribui suas próprias vitórias e fugas às orações das assembleias distantes (2 Co.1:2). Quando estamos juntos há questões enormes para o Senhor Jesus em jogo, quando estamos reunidos e focados na Igreja.

Estamos em uma luta universal, a batalha está acontecendo e a Igreja nunca vai chegar até o trono sem luta.

Enquanto tudo está garantido no Trono pelo nosso Senhor Jesus Cristo, por Seu triunfo completo e perfeito na Sua Cruz, ainda assim este triunfo tem que ser operado e manifesto, e a Igreja é o Seu instrumento para isto, por isso a batalha está sempre focada na Assembleia.

A necessidade é grande para que o povo de Deus reconheça isso e, assim, se junte em ação, e em poder espiritual para todo o corpo de Cristo. É o negócio de todo o Corpo e de cada membro do Corpo. Portanto, a questão é de força e poder espiritual, e o poder e a força espiritual da Igreja reunida é a quota individual de vida e força para o todo.

Há muito que o Senhor deseja revelar ao Seu povo, e, por essa revelação eles possuirão o conhecimento espiritual Dele mesmo, o que é necessário para uma maior revelação e plena realização dos fins de Deus para este tempo. É muito importante saber o tempo que estamos vivendo, e o Propósito Eterno de Deus em relação a ele.

Você não pode lutar sem conhecimento espiritual e a Igreja não pode ser edificada sem a revelação espiritual, e você não pode obter um raio de revelação sem luta, pois o inimigo está lá fora com toda a força e sutileza para cortar toda a revelação, e ele sempre procura impedir a revelação espiritual, que ela seja dada ou recebida.

Em Daniel 10, lemos sobre o conflito terrível na terra e nos céus, e vemos que tudo se relaciona à revelação. (Dn.10:1 ARV) “foi revelada uma palavra a Daniel... uma palavra verdadeira concernente a um grande conflito; e ele entendeu esta palavra e teve entendimento da visão. Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras... nem me ungi com unguento, até que se cumpriram três semanas completas...não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e por causa das tuas palavras eu vim. Mas príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias ... a visão se refere a dias ainda distantes (marg. para o fim dos tempos)”.

Daniel se posicionou em relação a todo o Corpo da Casa de Israel; e a Igreja reunida é representativa de toda a Companhia do povo do Senhor. O Senhor deve ter tal instrumento nestes últimos dias - dias finais desta dispensação.

Este capítulo de Daniel mostra que foi um negócio caro receber revelação, sim, custa receber revelação e custa reparti-la; ministério espiritual é extremamente custoso e há uma batalha de cada vez para cada porção de revelação.

Esta revelação não é algo extra além das Escrituras, mas o que está oculto aos olhos obscurecidos nas Escrituras.

É absolutamente necessário ser fortalecidos com todo o poder no Senhor. “Seja forte no Senhor e na força do seu poder” (Ef.6:10). “Fortalecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior...que sejais fortes para compreender... fortes para conhecer.”

É necessário um fortalecimento interior para “saber”! O conhecimento espiritual é muito mais do que a aquisição mental; e é apenas a revelação espiritual que realiza coisas, e é a força da Igreja em sua natureza e constituição que capacita para esta obra poderosa. A força do conjunto é apenas a força dos vários indivíduos que estão reunidos, e a nossa reunião não vai nos levantar acima do nosso relacionamento pessoal com o Senhor, juntamente com outros filhos do Senhor ainda permanecemos com a mesma medida em nós mesmos, e essa medida é a medida de

nossa história secreta com o Senhor, e até esta medida é o exercício espiritual na assembleia. O indivíduo tem que ser exercitado nas coisas do Senhor e seu homem interior ganha força através de tal exercício espiritual.

Tomemos o assunto da oração: o que acontece com a nossa vida de oração privada? Agora, amados, estas questões não são destinadas a ser críticas mas são tomadas com um propósito construtivo. O conjunto não é mais forte do que a vida de oração individual dos membros. Se chegarmos a assembleia e fizermos lá a nossa oração particular, aquela oração que deveríamos ter tido a sós com Deus , ou levar os outros a fazer a nossa oração por nós - o Senhor não aceita esse tipo de substituição - apenas na medida que somos individualmente poderosos e fortes em nossa vida de oração privada será o proveito da assembleia quando estamos juntos. Se cada um reunido na assembleia tem uma vida particular de oração forte e verdadeira em secreto com o Senhor, isso representa um forte poder e eficácia espiritual no Corpo de Cristo sendo conduzido a uma realização definitiva dos fins específicos de Deus para aquela hora em relação com Seu Propósito Eterno em Cristo Jesus. Mas se nós estamos fazendo a nossa oração privada em público o Senhor sabe e há fraqueza e ineficácia na assembleia, e se você é forte na vida de oração privada a assembleia vai sentir isso e toda a Igreja de Deus será beneficiada.

O que você está fazendo em sua vida de oração pessoal? Claro que há uma maior força por todos estarem juntos, e há ganho para o indivíduo por meio da oração corporativa.

E o que é verdadeiro na esfera da oração deve ser verdade também na esfera da Palavra.

O Espírito Santo nos fortalece desta forma exercitando nosso homem interior na Palavra.

Que tempo tem a leitura e estudo da Palavra em sua vida? Você está recebendo todo o seu conhecimento da Palavra de outros servos do Senhor, em vez colocar a mão na massa você mesmo?

O Espírito Santo exige trabalho e perseverança com a Palavra, e é essencial para nós ter a Palavra em nós para que o Espírito Santo trabalhe nela; este é o caminho da força, sobre a palavra trabalhando, lendo persistentemente, meditando, orando, e não desistir quando chegamos a um período de seca - mas persistindo, assim por diante. O Espírito Santo precisa desse exercício do nosso homem interior, no estudo da Palavra e oração, para edificar a Igreja forte, e o Senhor fará uso de todos os trechos da Palavra

assim plantados individualmente, e o Espírito Santo descerá e operará sobre ela.

A Palavra de Deus é a espada do Espírito (Ef.6:17). “Que a Palavra de Deus habite em vós abundantemente” (Cl.3:10). O que é verdade na oração e na Palavra para fazer-nos fortes com a força espiritual interior também é verdade no Testemunho.

Quando eu digo que devemos sempre estar atentos para testemunhar para o Senhor Jesus, eu não quero dizer que devemos parar cada um e força-los a nos ouvir sobre o estado de sua alma. O que eu quero dizer é que será que nós, no início do dia, definitivamente buscamos que o Senhor esteja vivo para todas as oportunidade que surgirem para Dele, estamos olhando para fora, alertas para aproveitar a oportunidade quando ela aparece, estamos em oração esperando ansiosamente por ela? Estamos vivos na espera espiritual por almas?

A força da Igreja depende da vida espiritual de seus membros. Quantas vezes pedimos ao Senhor para nos tornar vivos para contatos? Você está em plena força para testemunhar? A característica da Igreja depois do Pentecostes, foi de que todos os crentes iam por toda parte pregando a Palavra - onde quer que fossem, em sua vida diária, houve uma proclamação do Senhor Jesus - eles eram testemunhas em todas as circunstâncias e testemunhavam para Ele, um testemunho vivo, e, amados, deve ser assim.

E então que maravilha, quando nos reunimos, Oh! quão vital seria, quão vivos para Deus, e todo o Corpo de Cristo em todo o mundo iria sentir o impacto de estarmos reunidos no Nome do Senhor, e deveria haver uma recuada do inimigo.

Que o Senhor possa nos trazer a isso por amor do Seu Nome em uma medida cada vez mais completa.

Publicado pela primeira vez na revista “A Testemunha e um testemunho “, em maio-junho de 1930, vol. 8-3.

Origem: "The Strength of the Church"