A Coisa Mais Difícil do Mundo
por T. Austin-Sparks

LEITURA : Hb.4:1-13; 11:5-6 .

Eu vou falar por algum tempo sobre a coisa mais difícil do mundo, que é a fé. No que tange o povo do Senhor, pode ser dito verdadeiramente que toda a sua vida em todos os aspectos - a salvação em seu primeiro passo e cada passo subsequente, o crescimento espiritual, alimento espiritual, a vitória espiritual, trabalho espiritual e serviço, comunhão com o Senhor e glória final – tudo é solucionado por uma coisa e que essa coisa é a fé. A fé é a chave para tudo em nossa relação com o Senhor. Tudo é uma questão de fé - não a fé como algo em si, mas a fé em Deus. Isso é algo que tem de ser enfrentado e, tanto quanto possível, estabelecido; mas não é uma coisa que seja resolvido de uma vez por todas. Tem que haver um estabelecimento uma e outra vez neste ponto. Estamos sendo continuamente confrontados com esta questão; quando enfrentamos novas situações e provações e perplexidades e contradições aparentes, eu vou crer em Deus ou não, eu vou repousar minha fé nEle ou não, eu vou confiar no Senhor, ou não? Isso é verdade em todo o caminho, e sempre será assim. E às vezes esses testes são muito, muito agudos e severos. Um irmão me escreveu esta semana, alguém que tem sido muito usado pelo Senhor em outras terras, bem como na sua terra natal, que conhece o Senhor, e tem uma caminhada muito real com Ele, e ele acabou de colocar isso em sua carta. "Às vezes parece que o Senhor está a milhares de quilômetros de distância e não tem qualquer interesse em mim. Às vezes parece que Ele me cortou." Alguns de vocês podem pensar que é muito extremo, alguns não. Você sabe muito bem que tais experiências são verdadeiras para a vida de um filho de Deus. Eu estava dizendo que isso é algo que tem de ser enfrentado. Essa é a vida a que somos chamados. O Senhor não cobriu, não velou, escondeu isso de nós. Somos chamados para uma vida de fé, e melhor é enfrentar isso; e então devemos, na medida do possível, se vamos passar por isso, ter isso estabelecido, pois repito não há nenhuma etapa ou fase ou aspecto da vida do filho de Deus, do primeiro ao último, desde o início até o fim que não seja uma questão de fé. Bem, isso é um fato, e vamos ser sinceros sobre isso, e muito francos com nós mesmos. Essa é a situação. Isto ser uma grande ajuda se nós tivermos olhado isso diretamente no rosto e não adiado, não tentado fugir, mas aceitado a situação.

A Chave para a fé

Mas queremos chegar dentro dessa questão de fé, aqui está a carta aos Hebreus, que é, como se sabe, do início ao fim, uma carta sobre a questão da fé, e temos entre outras uma pista muito útil e chave para a fé. É neste quarto capítulo. Você pode não pensar que isso é realmente uma questão de fé porque não parece encontrar-se logo de visível, mas quando você examina o texto, você descobre que é isso que está referido - esta língua estranha, um pouco técnica - "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito". Você vai notar que essa afirmação começa com um 'porque', e esse 'porque' te liga a Israel no deserto deixando de entrar no descanso. É dito que o Evangelho foi pregado a eles, mas a palavra falada não se aproveitou, por não ser misturada ou unida a . Ele não se aproveitou, por não estar unidos a . Então, em seguida, "jurei na minha ira: Não entrarão no meu repouso". Eles não puderam entrar por causa da incredulidade. Então mais sobre o descanso e sua incapacidade de entrar, e depois - "Porque a palavra de Deus divide entre a alma e o espírito". Esta é a chave para a fé, ou uma chave para a fé. O que é isso? É a conquista da alma, e isto é dito para explicar toda a falha deserto e o subsequente não entrar no descanso.

Você sabe o que a alma é. Eu não gastar muito tempo com a alma e o espírito. O que sabemos nesta matéria é que a alma é a vida consciente de si mesma. Por nossas almas estamos conscientes de nós mesmos e das outras pessoas e tudo o mundo de coisas daqui. Espírito é simplesmente a vida consciente de Deus. No nosso espírito somos conscientes de Deus, que é Espírito, e tudo relacionado a este reino. A vida consciente de si mesma e vida consciente de Deus - por estas duas coisas não estarem definidas, separadas e suas diferenças reconhecidas - foi permitido a sua sobreposição o que provocou um estado de confusão, eles não entraram. Eles falharam por causa da incredulidade. Bem, a que isso equivale? A vida consciente predominou, e a vida consciente de Deus não predominou, mas ficou sujeita e subserviente. Em outras palavras, para eles, tudo era uma questão de como o “eu” foi afetado pela situação e pela perspectiva. Você os encontra de novo e de novo cheios de entusiasmo, cheios de zelo, cheios do que parecia ser real interesse nas coisas do Senhor. Ah, sim, eles foram em frente, e eles estavam cheios de uma aparentemente verdadeira devoção ao Senhor. Mas isso aconteceu quando a situação era agradável a eles e quando a perspectiva apresentada trazia um grande senso de possibilidades, perspectivas, e sua satisfação. Oh, isso é bom, isso é ótimo; conte-nos mais sobre esta maravilhosa terra para a qual estamos indo, continue a nos falar sobre todas as suas maravilhas gloriosas e recursos; vá em frente, estamos muito interessados nisso, estamos comprometidos com isso! Mas era tudo alma, consciência de si mesmo, interesse próprio, gratificação pessoal. E quando surgia alguma situação, presente ou relacionada ao prospecto feito que era relacionado a negar a si mesmo, se sacrificar, abandonar os próprios interesses, e ter que enfrentar uma situação muito difícil, que ia ser muito custosa para eles, eles não estavam tão interessados; seu zelo se foi, e a incredulidade se levantou; ela estava lá e se levantou. Eles não estavam tão preocupados com o agora, o agora não era para eles. Para quem era o agora? Era para o Senhor SOMENTE em primeiro lugar, e os seus interesses foram totalmente eclipsados. Eles só entrariam em sua herança, quando o Senhor tivesse a Sua. O Senhor em primeiro lugar; "Buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mateus 6:33), e esse colocar em primeiro lugar muitas vezes significava um desapego de tudo que era pessoal.

Não chegamos direto ao coração do problema? O que é decepção para nós? Podemos dizer que a decepção que nós consideramos como decepção com o Senhor e sobre Suas coisas, ocorre porque nós desejamos tanto que o Senhor tivesse o que Ele queria, independentemente dos nossos interesses; estávamos preparados para deixar tudo para trás, NÓS não estávamos metidos nessa situação de alguma forma? No Senhor recebendo o que Ele quer, nos vemos imaginando de alguma maneira. Deve ser um instrumento muito afiado que penetre entre essas duas coisas e as defina porque elas estão tão misturadas. Não é verdade que a fé vacila, enfraquece e frequentemente sucumbe quando no caminho dos interesses do Senhor NÓS somos totalmente excluídos?

Qual é a chave para a fé, então? A chave para a fé é esta divisão da alma e do espírito, ou, em outras palavras, é a abnegação completa de interesses próprios - não no sentido budista de aniquilação, mas no sentido em que os interesses de Deus se tornam positivos e predominantes. É aí que a batalha da fé se enfurece; seu furor sempre é sobre esse terreno. Se fôssemos tão completamente - e nenhum de nós realmente é - se estivéssemos tão completamente consumidos pelos interesses do Senhor apenas onde nenhum outro interesse em nossas vidas tivesse qualquer precedência ou poder de nos governar, estaríamos em vitória o tempo todo. E esta preocupação completamente desinteressada naquilo que o Senhor quer é a chave da fé. Se Israel no deserto tivesse tomado essa atitude - Bem, esta é uma experiência muito difícil, mas o Senhor busca algo, o Senhor quer alguma coisa, e Ele, evidentemente, sabe que essa é a melhor maneira de obtê-lo; tudo bem, eu estou com ele, eu posso perder tudo, posso sofrer a perda de todas as coisas, mas é o que o Senhor quer que importa. O Senhor nos quer naquela terra; bem, se isso significa tudo, estar lá para o prazer do Senhor, é o que importa - se essa tivesse sido a sua atitude, você acha que eles teriam peregrinado 40 anos no deserto em círculos, você acha que na fronteira da terra eles teriam dado a volta para morrer no deserto? Você pode ver na consumação, que a próxima geração foi em frente, e foi com base da fé somente. Toda a história é baseada na fé.

Também temos a fé Raabe, a meretriz; sua fé era a chave para a terra - Jericó. Em seguida, a fé em dar a volta seis dias em silêncio e no sétimo o grito de fé, sem tirar uma espada ou usar mão para fazer qualquer coisa, mas rodear a cidade - ridículo! É tudo fé absoluta. Eles subiram e a possuíram nessa base. Essa geração entrou por causa da fé, ao passo que a geração anterior não entrou por causa da incredulidade. Mas esta geração entrou porque Josué e Calebe haviam dito: Se o Senhor se agradar de nós, Ele nos trará (Nm.14:8). Essa é a questão - é a alegria do Senhor, interesse perfeitamente desinteressado naquilo que o Senhor quer, e essa é uma das coisas mais difíceis na vida, colocar o eu fora do caminho.

O Resultado da Fé

(a) Descanso

Então, finalmente, uma pequena palavra sobre o resultado da fé. Em primeiro lugar, é claro, é descanso. Não estamos pensando agora de um descanso futuro, uma terra futura, independente do que nossos escritores hinos tem a dizer sobre isso. Você leu novamente este quarto capítulo da carta aos Hebreus, e você vê "Nós, que cremos, é entramos no descanso". Alguns de nós já entraram, diz o Apóstolo. Deus define um dia – e não é futuro - e alguns de nós entramos nele. Este descanso não é um período de tempo, é um estado, e o Apóstolo diz aqui de forma tão clara que, entrar no descanso é simplesmente uma questão de entrar em uma fé estabelecida em Deus. Você sabe muito bem que, por mais doutrinário e técnico que isto possa parecer, é muito verdadeiro. Podemos prová-lo quase todos os dias de nossas vidas. Quando chegarmos ao lugar onde colocamos a nós mesmos e aquilo que gostaríamos de lado e aceitamos a vontade do Senhor - e não apenas dizendo, com resignação “Bem, se é isso que o Senhor quer, eu me rendo; se eu pudesse tê-lo de outra forma, eu o faria, mas isto é, evidentemente, o que o Senhor quer”: mas se de todo o coração aceitarmos a situação e entrarmos nesta com o Senhor cooperando com Ele, quando chegamos lá, o descanso entra em nossas almas, nossas almas chegam ao descanso, em todos os tipos de coisas, pequenas e grandes.

(b) Poder com Deus

Em seguida, vem a vitória, porque a fé é poder. Se a Palavra de Deus é forte e clara sobre uma coisa, é sobre isso. Oh, fé é poder. Primeiro de tudo, é o poder de Deus. O que é mais poderoso com Deus do que ser agradável a Ele, e é por isso que eu leio sobre Enoque. "Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e ele não foi achado, porque Deus o trasladara, pois antes da sua transladação alcançou testemunho de que agradara a Deus". Tudo isso está centrado, e descansa sobre a fé. "Sem fé é impossível agradar a Deus." Certamente essa é a nossa ambição acima de tudo - ser agradáveis a Deus. Como? - Acreditar Nele, confiar Nele, repousar a fé nEle, para ser agradável a Ele. É o poder com Deus. Podemos considerar ao longo da outra linha, que a nossa fraqueza com o Senhor é sempre encontrada em nossa reserva, nosso questionamento, nossa dúvida, nossa incerteza. Essa é a nossa fraqueza com Deus, e o Senhor espera.

(c) Poder sobre Satanás

É vitória sobre o diabo porque, se há uma coisa que é o playground do diabo, é a incredulidade, e se há uma coisa que o Diabo está sempre em busca de promover e manter, é a falta de fé. A marca do trabalho do Diabo desde o Jardim até o fim é a incredulidade, a dúvida de Deus, o questionamento a respeito de Deus e os Seus caminhos - e os motivos de Deus. É assim que o diabo começa o tempo todo - com um 'se'. Se isto e se aquilo. Se Deus fosse o que Ele diz que é, então isto não aconteceria. Você sabe que os milhares de "se’s" e "mas" do diabo. O único poder de vitória sobre o diabo é a fé em Deus. Podemos usar a linguagem de vitória e poder sobre Satanás e isto não contaria para nada. Temos que ter uma nova posição de poder sobre o inimigo. A chave é a fé; pode ser a fé no sangue, ou no Nome, ou no Senhor, mas é a fé.

(d) Poder Sobre o Mundo

É poder sobre o mundo. "Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé" (1 João 5:4). O mundo, nesse sentido, é que todo o sistema e a ordem e atmosfera e atitude de coisas que devem ser vistas, e o presente. O que é a marca do mundo? É preciso ver, e deve ser agora. Tudo o que é invisível e não está no presente é totalmente fora da mentalidade do mundo, e nós sabemos o quanto do mundo há em nossa natureza e a batalha está lá. A fé supera esse mundo que está em nossa própria natureza e à nossa volta. "As coisas que se vêem são temporais, mas as que se não vêem são eternas" (2 Coríntios 4:18). A fé tem a ver com essas coisas.

Poderíamos falar por muitas horas sobre a questão da fé. Por favor, não pense que eu estou estabelecendo a lei para você. Deus sabe a batalha em nossos corações neste assunto e como sabemos que é verdadeiro em nossa própria experiência. Nós simplesmente falar uns com os outros solenemente. Devemos sempre nos prostrar diante Dele e dizer: Senhor, aumenta a nossa fé! Vão haver muitos momentos em que você dirá: Senhor, eu não tenho fé para isso, eu não tenho fé para enfrentar isso, aceitar isso. É uma questão de lidar de novo com o Senhor sobre essa questão de fé. Existe o fato, que tem de ser enfrentado, estabelecido, resolvido uma e outra vez. Tudo depende disso - a vitória em todos os domínios, seguindo em frente com o Senhor, recebendo aquilo que Deus propôs. É toda isso uma questão de fé em Deus, e sendo assim, ser agradável a Deus. "Aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam" (Hebreus 11:6). Senhor, aumenta a nossa fé!

Publicado pela primeira vez na revista "A Testemunha e um testemunho " em maio-junho de 1945, Vol. 23-3

Origem: "The Most Difficult Thing in the World"