Adoração na Casa de Deus
por T. Austin-Sparks

Efésios 1:4-10, 12, 18-19.

Voltando para o livro de Êxodo nós nos lembramos de que o tabernáculo visava apresentar as glórias de Cristo. Moisés recebeu o modelo, e outros foram dotados com o Espírito Santo para realizar a obra. Tudo o que foi fazer o tabernáculo era para mostrar os muitos aspectos das glórias de Cristo:

Bronze/ Justiça provindo do juízo, a justiça de Cristo.
Prata/ Redenção para Deus.
Ouro/ A glória de Deus.
Azul/ Natureza celestial.
Púrpura/ Realeza.
Escarlata/ Sofrimento.
Azeite/ O testemunho do Espírito Santo.
Incenso/ O merecimento do Senhor Jesus como o terreno da comunhão com Deus.
Pedras preciosas/ A preciosidade do Senhor Jesus para o Pai.

Isso é suficiente para transmitir a verdade de que este tabernáculo visava apresentar as glórias e excelências do Senhor Jesus. É aquilo que a Igreja, a habitação de Deus, é destinada a ser; aquilo que apresenta as glórias e valores de Cristo. Há um fim em vista, “que sejamos para a louvor de Sua glória”; que as glórias de Deus sendo manifestas em nós, no Santuário, na Igreja, ocasione louvor a Ele.

Adoração é louvor pela Sua graça e louvor para Sua glória em Jesus Cristo – graça conduzindo a glória. Primeiramente é a graça que nos faz ser uma habitação de Deus, porque fornece as condições necessárias para a presença de Deus. Depois é a obra de Deus, através da graça, nos conformar à imagem do Seu Filho, para que eventualmente sejamos para o louvor da Sua glória. Esse é o desenvolvimento completo dos propósitos da graça.

Efésios 1 nos mostra do que Deus está atrás, e como Ele começa no que aos crentes diz respeito, e qual o final a ser – o louvor da Sua glória.

Efésios 6 nos traz em contato com as forças que estão opostas.

O que jaz entre o capítulo 1 e o capítulo 6 é tudo aquilo pelo qual o fim de Deus é atingido e o objetivo de Satanás é derrotado. Existe uma ordem Divina no Corpo e na Casa. Subverta a ordem Divina e a glória Divina desaparecerá. Na ordem está a glória de Deus; no desordem está a desonra de Deus. Uma expressão viva do pensamento de Deus na Igreja é um objetivo de terrível antagonismo por parte do inimigo.

Supremamente, a Casa de Deus é caracterizada pela adoração. Deus a trouce à existência para esse propósito. Quando você entra na esfera da Igreja viva você entra na realidade viva dos poderes do mal, por causa da adoração. Adoração não é uma forma de palavras, ou atitude do corpo ou mente, não somente o canto de hinos. É uma tão grande habitação nas excelências do Senhor Jesus pelo Espírito Santo que Deus está a ser glorificado. É primeiramente a expressão do coração da apreciação da graça de Deus em Jesus Cristo.

Primeiramente publicado na revista "Uma Testemunha e Um Testemunho" 1938.

Origem: "Worship in the House of God"