Alcançando os Três Principais
por T. Austin-Sparks

Estes, pois, são os nomes dos principais guerreiros de Davi... Josebe-Bassebete... Eleazar... Samá” (2 Sam. 23:8-12).

Abisai, tornou-se o chefe do grupo. Mas nunca chegou a ser tão famoso quanto “Os Três” (2 Sam. 23:19).

Não estamos muito interessados no momento com os detalhes das façanhas destes três homens como com o fato de que Davi tinha um número de homens valentes que vieram até ele quando ele estava na fortaleza no deserto, encerrado por causa de Saul, e que os trinta homens principais foram divididos em grupos, cada grupo representando um modelo. Os trinta eram, digamos, de mais ou menos um modelo geral de excelência, e depois eles foram divididos em grupos menores, cada um dos quais representava um modelo de excelência maior, até que chegamos aos três nomeados acima, que são chamados os três principais. O ponto com o qual quero lidar é com o de alcançar a preeminência na estima do Senhor.

Por que foi esta história escrita? Por que temos o registro destes homens e suas proezas de força? Você acha que é para só incluir na Bíblia algumas histórias emocionantes de coisas maravilhosas que certos homens fizeram? Às vezes alguns deles parecem quase fenomenais. Mas você acha que o registro está aqui só para esse propósito? Se a Bíblia está escrita realmente na base de princípios espirituais e não apenas para registrar histórias humanas, coisas terrenas, existe algo que é espiritual por trás de tudo.

Categorias Diferentes de Grandeza Espiritual

Se olharmos por trás destas façanhas pelo princípio que o Senhor desejou enunciar e ilustrar, certamente achamos ser isto – de que é possível ser primeira, segunda ou terceira classe de pessoas; isto é, é possível ser colocado numa categoria diferente de grandeza e eficácia espiritual. Essa é a primeira coisa. Paulo buscou encorajar Timóteo para ser não um servo de Deus de segunda classe, mas para alcançar a primeira, para ser excepcional e não só um na multidão; para ser de conta particular, especial ao Senhor. Este é o princípio, penso, que jaz por trás de tudo que está aqui. Podemos ser classificados. Podemos ser dos trinta, dessa categoria que tem um certo valor, significado e responsabilidade espiritual bastante real. Tais pessoas não são de modo algum nominais. Com efeito, eles são algo bem mais do que a multidão nominal de homens em Israel. Mas mesmo assim é possível ir mais além de um degrau maior: você pode ir mais além e depois ainda mais. Existe um lugar que é representado pelos três principais. Acho que Paulo mesmo era a personificação do espírito dos primeiros três quando ele disse, “Uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que estão adiante de mim, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus”. (Fili. 3:13-14). “Todavia, o que para mim era lucro” (e não eram de modo algum coisas erradas), “passei a considerá-lo como perda por amor de Cristo, sim, na verdade, tenho também como perda todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor” (Fili. 3:7-8). “A excelência”; a coisa que sobressai; o excelente conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor. Essa é a personificação do espírito que é primeiro com o Senhor.

Uma Questão de Alcançar

Agora Paulo usa esta mesma palavra 'alcançar'. “para ver se de algum modo posso alcançar...” (Fili. 3:11). É uma questão de alcançar. Isto não tem nada a ver com a nossa salvação inicial. Nós não alcançamos a salvação no sentido inicial, pois isso não é o resultado de nenhum esforço ou decisão da nossa parte. Salvação, no sentido de sermos trazidos do juízo para a reconciliação com Deus e a abundância do perdão e certeza, e assim por diante, é dada a nós. Mas logo lá surge uma e outra vez no Novo Testamento o assunto sugerido por esta palavra 'alcançar'. Um homem veio até Jesus e disse, “O que preciso fazer para herdar a vida eterna?” (Mar. 10:17). O Senhor Jesus não disse que você não pode herdá-la. Ele disse substancialmente que você pode herdá-la, mas que existe também algo mais para ser alcançado. O alcançar é algo além de nossa conversão, é algo mais do que nosso recebimento do dom da vida eterna. Existe uma posição a ser alcançada de valor para o Senhor que é a posição por excelência, a posição suprema. O Senhor quer achar em nós a determinação que, pela Sua graça, nós não vamos aceitar nada menor do que o maior e o mais pleno que Deus quer em relação ao nosso valor e utilidade para Ele.

Marcas de Grandeza Suprema

(A) A Percepção do Pleno Pensamento de Deus

Você perguntará, bem, quais são as marcas deste tipo de preeminência? Não sei o que foi ao todo o que estes homens fizeram para sobressair, apesar de que o que eles fizeram foi certamente excepcional. Haviam outros que fizeram coisas muito extraordinárias. Um outro desceu numa caverna e lá matou um leão, no tempo da neve. Bem, entrar numa caverna com um leão! Um leão à distancia é bem uma proposta; levanta um desafio e se precisa de uma boa dose de coragem. Outros, envolvidos na batalha com valentes gigantes e os mataram. Estas eram as façanhas. Estes três, talvez, fizeram algo ainda mais excepcional do que aquilo. Mas não acho que no que eles fizeram jazia ao todo a superioridade deles. É claro, Josebão matou trezentos homens manejando extraordinariamente sua lança. (1 Cr. 11:11 dá o número de trezentos, e 2 Samuel 23:8 oitocentos; não discutiremos a discrepância no momento). Com uma só mão ele combateu esta esmagadora situação, e não parou até que a tarefa fosse realizada e o último homem caísse morto. Depois de Eleazar lemos que havia uma banda de Filisteus ameaçando atacar uma plantação de cevada. O resto de Israel fugiu diante deles, mas Eleazar permaneceu no meio da plantação e a defendeu, e matou aos Filisteus até que sua mão adormeceu e ficou grudada à espada. (1 Cr. 11:11-14). E que dizer sobre Samá? De um modo semelhante ele defendeu uma plantação de lentilhas dos saqueadores Filisteus quando todos os outros tinham fugido, e matou os inimigos, e assim preservou a comida do povo de Deus.

As façanhas de cima podem ter seus próprios significados simbólicos, mas esse não é o ponto. O ponto é este: estes homens valentes viveram num dia em que as coisas estavam em transição. Algo não de acordo ao pleno pensamento de Deus para Seu povo estava retendo o terreno. Saul estava no trono, e esse não era o pensamento de Deus. O povo estava sob dominação desta outra ordem de coisas, e por isso estavam todo o tempo em perigo de fome espiritual, de derrota, em fraqueza, escravidão e incerteza. Eles não sabiam onde eles estavam ou que caminho seguir. Tudo estava indefinido e num estado muito insatisfatório, porque outro pensamento além do pensamento de Deus estava prevalecendo no meio do povo do Senhor. O pensamento de Deus em plenitude estava centrado em Davi; e a primeira característica dos homens valentes, de todos eles, era que eles percebiam o estado das coisas. Eles viram que a palavra do Senhor revelava, como a mente de Deus, algo mais e outra coisa além do que estava prevalecendo, e esse “ver” era o começo da mudança, da transição, a secessão, para Davi. Essa é a primeira coisa – ver o que não é geralmente visto pelo povo do Senhor: a coisa que o Senhor realmente teria: aquilo que, se fosse estabelecido, significaria uma tão grande mudança para o povo de Deus. Quão maior a plenitude e que nível mais elevado eles estariam vivendo! Esse é o começo da grandeza que em principio está aqui diante de nós. Eles perceberam o pensamento de Deus, a direção na qual esse pensamento ficava, e eles disseram, 'temos resolvido isto outro! Temos sido parte disso, mas temos acabado com isso. Daqui em diante, estamos atrás do pleno pensamento de Deus, e não vamos aceitar nada menos'. Eles se comprometeram com isso. Esse foi o começo da grandeza.

(B) Um Senso De Responsabilidade

Depois você percebe que estes homens estavam caracterizados por um senso muito real de responsabilidade. Eles pareciam nunca ter precisado de nenhum encorajamento, ou ter alguma coisa dito a eles, exortá-los. Eles tomaram a inciativa no assunto da responsabilidade. Cada um deles disse, com efeito, 'Bem, este supremo assunto do pleno pensamento de Deus comigo fica um assunto pessoal; o trago direto a mim mesmo. Os outros podem ter ido, talvez não haja ninguém mais aqui para isso, mas porque o tenho visto me recuso a abandoná-lo. Assumo este assunto eu mesmo'. E então, seja contra trezentos ou oitocentos ou toda a banda inumerável de Filisteus, estes homem tomam suas posições, embora sozinhos. É toda a responsabilidade deste pleno testemunho assumida pelo indivíduo, como se para o momento recaísse sobre ele somente. Isso é grandeza superior. Existem pessoas que podem se mover em multidões, e que agirão quando têm outros ajudando e encorajando-os, mas muitos desaparecem quando é um caso de encarar este tremendo assunto sozinhos. Grandeza superior é mostrada ao tomar responsabilidade superior mesmo que outros façam assim ou não.

Veja Paulo. Desde sua conversão até o final de sua vida ele parece ter sido assim. No final ouvimos ele dizer, “todos os que estão em Ásia me abandonaram” (2 Tim. 1:15). Este se foi, Esse se foi - “Somente Lucas está comigo” (2 Tim. 4:11). Ele está praticamente sozinho, mas ele não está se rendendo. É justamente nesse momento, mais do que nunca, que ele se posiciona pelo o pleno pensamento de Deus; e nós obtemos o fruto de sua posição em suas cartas da prisão. A grandeza superior é boa vontade para se posicionar pelo que Deus tem revelado como Sua vontade, embora tenhamos que permanecer sozinhos. Pode ser um contra muitos, pode haver um considerável tempo de solidão, mas é aí onde a prova de nossa medida espiritual entra, em iniciativa e responsabilidade que não espera por uma organização para vir a ser e lidar com a situação, mas o faz um assunto pessoal – e aprofundado, também.

(C) Resistência Espiritual

A seguir parece que a medida da perseverança deles em ver a coisa terminada era uma característica da grandeza espiritual deles. Uma coisa que parece característica de todos eles é referido a um destes homens - “sua mão ficou grudada à espada”. (2 Sam. 23:10); isto é, ele a tinha agarrado tão firmemente e tão persistentemente que ele agora não podia deixá-la quando ele queria. Sua espada tinha quase se tornado uma parte de sua mão. Ele está em grande cansaço com a luta, mas ele parece aguentar até o fim. E isto é muito importante. Existem muitas pessoas que podem tomar coisas e começar elas com vivacidade, mas que deixam uma multidão inteira de coisas inacabadas por todo lugar. Suas vidas são marcadas por coisas inacabadas. Eles começam em bom espírito, mas nada é levado até o fim. Chega um ponto de enfado, de cansaço, um ponto em que o custo ou o perigo aumenta, e então a mão abranda e a coisa não é terminada. Existe muito no Novo Testamento sobre perseverar até o final. Resistência espiritual é uma prova de grandeza. Oh, nós precisamos resistência espiritual para nos grudar a uma tarefa e seguir com isso e não desistir, nossa mão se grudando à nossa espada: temos entrado neste assunto, e não podemos simplesmente o soltar e nem mesmo é uma questão agora de se queremos o soltar, estamos tão comprometidos que não podemos. Uma marca de grandeza é essa resistência que vai além da vivacidade e os primeiros entusiasmos, para além do estimulo de um novo desafio, de uma nova situação. Quando enfado surge e todo romance desaparece, é árduo, um assunto árduo: agora simplesmente temos que encará-lo. Então a mão de Eleazar grudou à sua espada. Ele ficou cansado, mas ele acabou o trabalho; ele não desencorajou na metade do caminho. Isso é o que está escrito sobre tudo o que estes três homens fizeram. Eles acabaram a tarefa; foi muito custoso, mas eles conseguiram, eles provaram suas resistências. Pode estar tudo bem descer numa caverna e matar um leão, e resolvê-lo em uns minutos; ou subir para um gigante e dar a ele um golpe, e esse é o fim do assunto. Mas é uma outra coisa ficar e lutar contra homens, um atrás do outro, ataque atrás de ataque, arremetida atrás de arremetida, repelindo constantemente – ataques renovados. Você pode assumir que estas bandas de Filisteus não fizeram apenas um assalto em cada um destes homens. Um atrás do outro os inimigos caiam diante dele; eles se emendavam e outros vinham – seja que fossem trezentos ou oitocentos deles. Eles vinham até que o último deles foi acabado. E os guerreiros de Davi não desistiam até que a luta acabava. A resistência destes homens é extraordinária. Do mesmo modo achamos Paulo continuando até o fim. Sim, cansado, coração adoecido, desgastado na batalha, mas ele pode ainda dizer, “tenho acabado a carreira” (2 Tim. 4:7). não houve desistência.

(D) Inclusivamente – Se Posicionando Pela Plenitude de Cristo

Esta é a prova de estatura espiritual; primeiramente, vendo o pleno pensamento de Deus e não aceitando nada menos, sendo comprometido com isso; em segundo lugar, iniciativa e responsabilidade no que a esse pensamento de Deus diz respeito, de maneira que não temos que ser informados do que é preciso, nem exortados ou forçados para fazê-lo: estamos vivos para isso, logo ali, e o fazendo porque tem se tornado um assunto de interesse pessoal para nós; e depois, em terceiro lugar (para trocar a metáfora), tendo colocado nossa mão no arado, não olhando para trás, não um campo arado à metade, não parando porque as coisas estão ficando monótonas ou difíceis, mas continuando com isso ainda que seja em cansaço.

Não sei se há muito mais a dizer sobre isto. Não há duvidas sobre isso, estamos na contrapartida de semelhante situação hoje, e a maioria das pessoas não estão preparadas para pagar o preço. É mais fácil aceitar um pensamento de Deus menor, um que não é tão custoso. Mas o ponto é, vamos alcançar os três principais, ou vamos estar no segundo grupo ou no terceiro grupo? Essa é a questão que temos a responder. Quanto tenhamos dito tudo mais, a que tudo equivale? Numa palavra, é o estabelecimento do Absoluto Senhorio de Jesus Cristo, e da Absoluta Soberania do pleno pensamento de Deus personificado Nele. Davi representava isso. Ele era a personificação do pleno pensamento de Deus. Plenitude era para vir com ele, e era para vir ao longo da linha de seu encabeçamento absoluto, e senhorio. Bem, isso é um tipo do Senhor Jesus.

Um Caminho de Fé

Poderia acrescentar esta palavra. Era um dia de fé. Estes homens verdadeiramente perceberam que a Palavra de Deus para seu cumprimento ficava na direção de Davi, mas você deve lembrar que Davi era um homem solitário nesta hora. Ele tinha pouquíssimos com ele, e esses com ele estavam num real estado de fraqueza; eles foram despojados de tudo; e todo o país estava com Saul. Saul tinha as rédeas do governo na sua mão. Era uma coisa arriscada romper com isso. Você não sabia, falando humanamente, se a causa de Davi ia ter sucesso ou não, e você não queria que houvesse uma dessas pequenas revoltas que fossem reprimidas e depois tudo fosse perdido. Você estava arriscando tudo. Ah, mas era um dia de fé, um dia em que todos os que tomaram essa linha, tinham que tomá-lo pela fé, eles se comprometeram para a linha da fé. Certamente é assim. Nos abandonar para o propósito de Deus em sua plenitude (o qual não é o objetivo geral do povo de Deus) e tornarmos um aparentemente núcleo pequeno que está atrás de algo mais do que a média, e crer que de algum modo vai ter algum sucesso, muita fé é preciso para fazer isso. Se você quer um tempo fácil, você não vai tomar esse caminho. Mas aí está a prova novamente. Não é esse o ponto inteiro de Hebreus 11, quando você obtém o sumário de tudo - “Quantos exemplos mais darei? Infelizmente não disponho de tempo para falar...” Você percebe que Davi é mencionado e é dito, entre outras coisas, que os interessados “conquistaram reinos... tornaram-se poderosos na batalha...” Eles fizeram proezas. Acho que estes homens de Davi estão dentro, e foi o triunfo da fé. Essa era a prova de suas medidas espirituais.

Isto nos desafia. Vamos ser de segunda classe, terceira classe, ou de primeira classe, reconhecendo que é um extra custo que está envolvido, e que o Senhor está precisando disso? Davi estava desesperadamente precisando deste tipo de ajudador, e não estamos errados em dizer a mesma coisa do Senhor – Ele está desesperadamente precisando de pessoas como esta. Não existem muitas, e Sua causa é em grande parte sofrimento, porque Ele não tem este tipo. Certamente Ele está nos chamando para encarar o desafio que isto apresenta.

Primeiramente publicado na revista “Uma Testemunha e Um Testemunho” May-Jun 1950, Volume 28-3

Origem: "Attaining Unto The First Three"