A Chegada do Dia da Coroação
por T. Austin-Sparks

Pedro, Paulo, Tiago e João, nos apontam adiante para as coroas que Deus oferece aos Seus servos. Em cada caso, o pensamento está relacionado a provação, luta, corrida ou com a nossa confiança. Três coroas são mencionadas - a coroa de justiça, a coroa da vida e a coroa de glória, e ao que parece, o que se entende por coroação é o selo de um caminhar de triunfo e com honra, a coroa é um símbolo tanto de vitória como de honra.

1. A Coroa de Justiça

A justiça é uma questão relacionada aos direito de Deus, para que Ele seja tudo em todos, estando tudo Nele centrado e que tudo seja entregue a Ele. Injustiça é uma disposição para que nós sejamos o centro, que tudo nos seja dado, o que é, de fato, satânico. O pecado é tirar Deus do trono que é Seu verdadeiro lugar: a justiça é trazer Deus de volta ao Seu lugar. Isso é o que a cruz fez.
Paulo foi um grande campeão no que tange à justiça estabelecida pela morte, sepultamento e ressurreição do Senhor Jesus, e por isso ele combateu o bom combate. Naquilo que diz respeito a nós existe um desafio de até que ponto vamos abrir mão de nossos interesses pessoais, para que Deus tenha o Seu lugar. Este é o campo de batalha. Isto é uma verdadeira batalha. Naquilo que se relacionava a Paulo ele afirmou: "...por amor do qual perdi todas as coisas, e as considero como refugo...", o ponto em questão era que ele fosse encontrado em Cristo, não tendo justiça própria, mas a justiça que procede da fé em Cristo. Esse sempre foi o meio utilizado pelas pessoas que têm apenas um interesse, ou seja, que o Senhor tenha Seu lugar de direito, que o reino de Satanás seja derrubado. Isto é justiça e este é o campo de batalha. O apóstolo diz que há uma coroa de justiça no final, aguardando aqueles que estão dispostos a derramar suas vidas para que os direitos de Deus sejam assegurados por meio da cruz do Senhor Jesus.

2. A Coroa da Vida

Esta coroa também é colocada no contexto de dificuldade, sofrimento e adversidade. É para o homem que suporta a provação (Tiago 1:12). Sempre que triunfarmos no campo de batalha pelos direitos de Deus, há uma liberação de Sua vida. É o objetivo do inimigo sempre procurar suprimir essa vida. A Palavra nos diz que estamos todos na batalha pela vida. Satanás no início planejou e trabalhou para capturar a raça humana para si, e derrotar o propósito de Deus. Sempre que ele conseguiu seu objetivo foi impedindo os homens de obterem a vida divina; uma vida que não é apenas a continuidade da existência, mas uma qualidade de vida santa.

Satanás agora está por aí para suprimir você. Como filho do Senhor, a questão que se levanta é: o quanto você vai se agarrar a vida do Senhor e o quanto vai resistir na fé à operação da morte espiritual. Você se levanta de manhã perguntando qual é o problema com você. Por nenhuma razão aparente você se sente deprimido, "morto". O que você vai fazer sobre isso? Você renderá a ele? Ou você vai colocar-se em uma verdadeira luta em oração? Você vai descobrir que isso é algo mais do que apenas um sentimento ruim que passa; você está na batalha pela vida.
É o homem aprovado que receberá a coroa da vida. Como você será aprovado? Você nunca viu um aluno aprovado que jogou de lado sua prova e disse: "Eu nunca vou poder fazer nada parecido com isto! Não adianta tentar!" ou que disse: "Eu não posso ir adiante nem mais um pouco. Eu vou desistir!" Não. "Sê fiel até à morte, e eu te darei a coroa da vida" (Apocalipse 2:10). É uma batalha? Bem, não desista. Será uma corrida? Não caia fora. É uma relação de confiança? Não desista da sua confiança. Vá em frente com ela até o fim, e você receberá a coroa da vida.

3. A Coroa da Glória

"Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória" (1 Pedro 5:4). Às vezes, você quase pode ver isso em pessoas aqui e agora. Elas têm uma tal expressão de devoção ao Senhor e uma abnegação tão completa de vida, que carregam consigo um resplendor da glória de Deus. Colocando isso ao contrário, você certamente vai concordar que sobre as pessoas que estão sempre ocupadas consigo mesmas e tomadas com os seus próprios problemas e dificuldades, parece haver uma sombra constante. Essas pessoas não trazem nada de brilho e glória com elas. Glória é realmente a natureza da justiça e vida se manifestando.

É muito importante a notar a definição das palavras de Pedro. Ele acaba de falar com os presbíteros, dizendo-lhes para alimentar o rebanho e não fazê-lo por torpe ganância ou pelo louvor dos homens, mas desinteressadamente, negando a si mesmos, pelos interesses do Senhor e do Seu povo. Pode ser custoso servir ao Senhor assim, Pedro diz, mas se você fizer isso com esse espírito, então, no final, o supremo Pastor, que é coroado de glória, lhe dará uma coroa de glória.
Portanto, há justiça - Deus tem Seu lugar em todas as coisas. E há vida - vitória em Seu nome com o Sua própria vida eterna reinando em nós. E, finalmente, há glória - a vida do Senhor que Se manifesta em plenitude e deflagra glorioso triunfo sobre o pecado e a morte. Estas três coroas, estes três selos, estas três marcas que triunfamos, isto é o que o Senhor tem posto em Seu coração para nos dar, àqueles que são redimidos pelo sangue de Cristo e são a habitação do Seu Espírito. Que os nossos corações estejam colocados em obtê-las, para que Ele possa encontrar satisfação em nós, através da graça.

Não vamos nos enganar, porém, que estas coroas virão facilmente para nós. Estas são frutos da batalha, de batalha feroz e muitas vezes de batalha interior. Às vezes penso que seria mais fácil se os nossos adversários foram mais exteriores e a batalha mais objetiva, mais fácil de discernir. Pode ser que em alguns casos, os crentes sejam lançados na prisão e sejam provados por causa do nome do Senhor, mas em qualquer situação, somos todos colocados em posições onde a responsabilidade pelo testemunho de Jesus é trabalhada, e o princípio da fidelidade até a morte opera em nós. Quando a coisa a ser superada é interior, quando sou eu mesmo que devo ser morto, então isto pode ser mais difícil. Este, então, é o momento de olhar para Cristo no trono, e saber que Ele proveu uma vitória que podemos desfrutar diariamente.

Isto é um negócio sério nas mãos da Igreja. É nada menos do que o cumprimento da sua vocação, a realização da sua carreira e a preservação de sua confiança intacta. Somos chamados para representar o senhorio absoluto de Jesus Cristo em um mundo hostil. Que privilégio ser chamado para representar esses direitos soberanos, e então que perspectiva maravilhosa é nos serem oferecidas coroas por fazê-lo. Queremos que Cristo tenha todas as coroas. Ele quer compartilhar coroas conosco. Ele foi "coroado de glória e de honra"; Ele nos chama para sermos parceiros juntamente com Ele na vinda de Seu Dia de Coroação.

Da revista "Em Direção ao Alvo", edição de maio-junho 1977, vol. 6-3.

Origem: "The Coming of the Crowning Day"