Ministério Profético
por T. Austin-Sparks

Capítulo 7 - O Contraste Entre a Velha e a Nova Dispensação

"Pois, os que habitam em Jerusalém e as suas autoridades, porquanto não conheceram a este Jesus, condenando-o, cumpriram as mesmas palavras dos profetas que se ouvem ler todos os sábados." (Atos 13:27).

De certa forma, este versículo é a chave para todo o livro de Atos, pois este livro é realmente uma interpretação e exibição do princípio que está no âmago da sentença - isto é, que há a Bíblia com suas sentenças verbais, seus registros das falas e atividades de Deus através dos homens, e isto pode ser lido e relido durante uma vida toda, como foi no caso das pessoas aqui referidas, e, contudo, o real significado pode ser perdido. Em outras palavras, há na Bíblia algo mais do que as sentenças verbais. Você pode ter as sentenças, a carta, o volume, todo o registro, e você pode conhecê-lo como tal, como aquelas autoridades judaicas, e, contudo você pode estar perdendo o caminho, você pode estar se movendo num plano completamente diferente daquele que Deus planejou. Este livro de Atos, do início ao fim, mostra que havia algo mais na mente de Deus quando Ele inspirou homens de idade para falarem e escreverem do que é discernível nas própria palavras que eles usaram, e que requer a atividade do Espírito de Deus para que a mensagem seja ouvida e compreendida, para que ela funcione como as coisas funcionavam neste livro - em poder, em efetividade.

Há muito do Velho Testamento no livro de Atos, e no Novo Testamento como um todo. Os profetas são muitíssimos citados, mas veja a diferença entre o efeito das palavras como usadas no livro de Atos e o efeito sobre aqueles que meramente ouviam ou liam os pronunciamentos dos profetas. O Espírito Santo já veio; e Ele não está fazendo uma nova Bíblia, Ele está usando a antiga; porém é um novo livro com um novo significado e um novo efeito, e você fica espantado às vezes com a forma com que Ele usa a Escritura. Você jamais enxergava que ela significava isto; é algo completamente além do entendimento anterior, embora você conhecesse esta Escritura muito bem. Há uma diferença, e uma diferença crucial.

Assim, aquelas pessoas em Jerusalém e suas autoridades ouviam os profetas todos os sábados, porém fracassavam ao ouvir suas vozes. Eles perdiam algo - a voz de Deus que vinha através daquelas leituras, o significado de Deus naquilo que estava sendo falado, como distinto das meras sentenças. É possível a uma companhia de pessoas estar reunida e alguém estar falando a palavra do Senhor, e alguns simplesmente ouvir as palavras e ir embora, e dizer: 'Ele disse isso e isso', repetindo aquilo que realmente foi dito em expressões verbais. É ao mesmo tempo possível para outros dizer: 'Eu nunca vi desta forma antes'; eu conhecia aquela passagem da Escritura, mas nunca vi isto!' Algo, não apenas de um reconhecimento novo, mas um valor vivo foi detectado. Esta é a diferença entre as palavras dos profetas e a voz de Deus através das palavras dos profetas.

Assim, como dissemos, este verso no capítulo 13 é, de certa forma, uma chave para todo este livro. Ela faz esta distinção, que é muito importante, entre a carta e o Espírito, entre os pronunciamentos e o significado Divino nas declarações. Um é morte e não leva a lugar algum. O outro é vida e vai até o fim.

Toda Profecia Aponta Para O Senhor Jesus

Vamos agora dar uma olhada no livro de Atos. Vamos direto ao primeiro capítulo com este princípio em mente. Seria bom lembrarmos, em parênteses, que, falando em termos gerais, toda a Bíblia se concentra numa afirmação abrangente sobre esta mesma questão. Em Apocalipse 19:10, é dito que "o testemunho de Jesus é o espírito da profecia". O que isto significa? Significa simplesmente o seguinte - que todo o caminho através da Bíblia, do início em diante, tem havido um elemento preditivo neste sentido, um elemento de implicação, algo implícito por trás das palavras ditas naquele tempo. Em tudo isso tem havido um indicador que aponta para frente. Pode ser um incidente histórico, algo muito local e imediato em si mesmo quanto ao tempo, lugar e pessoas envolvidas, mas em nenhuma parte da Bíblia apenas o local e o presente está em vista. Há algo mais - há uma implicação, há um indicador futuro; e, se você pudesse enxergar para onde todas essas coisas apontam, descobriria que é Jesus. Jesus está implícito em tudo, em todo lugar.

Quando falamos de profecia, não vamos limitar nossos pensamentos a certos tempos e certos homens do Velho Testamento. Verdade, temos ficado muito freqüentemente ocupados com os profetas cujos livros estão incluídos na seção 'profética' do Velho Testamento, mas precisamos expandir para além disso. Moisés foi chamado de profeta (Deuteronômio 18:15), e Samuel foi um profeta (1 Samuel 2:30), e até mesmo Davi é chamado de profeta no Novo Testamento (Atos 2:30). O espírito da profecia inclui muito mais do que certa classe de homens que designamos de profetas. O Espírito da profecia vai muito lá atrás, tão atrás quanto Enoque; não, vai muito mais além do que isso - chega a Gênesis 3:15, concernente à semente da mulher: este é o espírito da profecia. Assim, se lembrarmos que aquela profecia é alguma coisa de longo alcance e que engloba todas as coisas, e nos apoiarmos no Senhor Jesus, creio que seremos capazes de enxergar algo do significado Divino como sendo mais do que uma expressão verbal.

Com este parêntesis, vamos ao primeiro capítulo de Atos.

O Significado Oculto do Espírito Nas Escrituras

"Certa vez, os apóstolos estavam reunidos com Jesus. Então lhe perguntaram: - É agora que o senhor vai devolver o Reino para o povo de Israel?" (Atos 1:6).

Mostramos em um capítulo anterior quanto os profetas estavam ocupados com este assunto do Reino. Esses discípulos do Senhor Jesus tiveram todas as suas idéias sobre o Reino a partir dos profetas, e assim, a pergunta deles está baseada num certo tipo de compreensão mental do ensinamento dos profetas. Eles tinham deduzido certas coisas a partir daquilo que os profetas haviam dito, e trouxeram esta questão até mesmo para esta última hora - "É agora que o Senhor vai devolver o Reino para o povo de Israel? Jesus respondeu: - Não cabe a vocês saber a ocasião ou o dia que o Pai marcou com a sua própria autoridade. Porém, quando o Espírito Santo descer sobre vocês, vocês receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até nos lugares mais distantes da terra. Depois de ter dito isso, Jesus foi levado para o céu diante deles. Então uma nuvem o cobriu, e eles não puderam vê-lo mais." (Atos 1:6-9).

Tudo começa aí no caminho do entendimento spiritual, porque esta declaração do Senhor Jesus indicava que uma nova dispensação estava sendo inaugurada, a qual era diferente daquela que os discípulos tinham esperado a partir dos ensinamentos dos profetas. Esta era a dispensação do Espírito Santo, e eles iriam descobrir que o Espírito Santo tinha significações sobre as profecias do Velho Testamento que eles jamais imaginaram que estivessem lá. Enquanto o Espírito Santo não se encarregou da Palavra de Deus eles não compreenderam os profetas absolutamente. E, então, iremos ver que quando Ele realmente tomou as Escrituras e começou aplicá-las, abrindo-as, dando o significado Divino, coisas começaram a acontecer as quais não apenas eram inesperadas, mas eram completamente contrárias e opostas à mentalidade limitada dos discípulos, e que requeriam uma completa aniquilação da mentalidade deles, o abandono de suas posições estabelecidas. É tremendamente desafiador quando o Espírito Santo efetiva Palavra de Deus e assume o controle sobre nós. Haverá mudanças revolucionárias em toda nossa perspective e procedimento, e este livro de Atos está simplesmente repleto disso.

A Vinda Do Espírito - Uma Nova Ordem Introduzida

É a dispensação, ou mordomia, do Espírito Santo. As palavras 'dispensação' e 'mordomia' significam uma economia, uma ordem; como as coisas são feitas neste regime. Descobrimos que, nesta dispensação, quando o Espírito Santo veio, Ele começou a mudar as coisas, porque Ele estava no comando. Você pode se tornar um membro de uma equipe de negócios, e quando você chega, descobre que as coisas foram feitas de tal e tal maneira. Os tempos são estabelecidos desta maneira; é assim que as coisas são feitas neste regime. E, então, chega um novo Diretor Executivo, e olha para esta ordem atual e registra de imediato se trata de um sistema imperfeito, que não está produzindo os resultados satisfatórios para os quais o negócio existe. Ele começa calmamente, porém muito firmemente, a tomar conta da situação, e as coisas começam a mudar, e as pessoas mais antigas que têm estado naquele regime por anos não gostam dessas mudanças, e começam a retrucar. Elas não aceitam; revoltam-se e começam a lutar contra esta nova ordem. Alguns, que têm o Espírito mais aberto, que não estão tão fixados, começam a entender a sua idéia, sua visão, e, embora se deparam com algumas dificuldades de vez em quando, e se voltam contra as implicações desta tremenda mudança - como Pedro, sobre a visita a Cornélio (Atos 10) - e é preciso um pouco de luta para vencer o antigo preconceito, contudo, eles têm suas batalhas, vencem suas dificuldades, e se adéquam, e assim a grande mudança acontece com resultados maravilhosos. Coisas começam a acontecer; o propósito original do negócio está agora começando, de forma maravilhosa, para ser realizado e cumprido.

Isto é exatamente o que aconteceu quando o Espírito Santo veio no dia de Pentecoste. Havia uma ordem fixa e estabelecida, mas ela não estava alcançando o propósito de Deus. Não estava, como dizemos, 'entregando as mercadorias' (cumprindo as promessas). O Espírito Santo veio, com todo o pleno conhecimento da mente de Deus; Ele entrou e começou Sua obra de efetivar o verdadeiro conceito Divino; Ele assumiu o controle da situação. Assim Ele dividiu as pessoas. Algumas - aquelas que habitavam em Jerusalém, e seus governantes - não aceitaram a nova ordem. Muito bem - eles perderam a coisa toda. Mas outras pessoas entraram na comunhão do Espírito Santo, "uniram-se ao Senhor... num só espírito" (1 Coríntios 6:17), com resultados maravilhosos.

Um Contraste Vital - A Carta e o Espírito da Escritura

O ponto é: primeiramente, é uma nova dispensação; e depois, o Espírito Santo está no comando. O Seu estar no comando precisa ser reconhecido, com tudo o que isto significa. E, estando no comando, por meio de Suas atividades Ele revela e envolve o próprio objetivo de Deus desde a eternidade, e busca trazê-lo para esta dispensação. Quanto a divisão - bem, foi uma divisão histórica então, mas é uma divisão que espiritualmente tem se sucedido ao longo de toda a dispensação. É uma divisão entre homens da carta e homens do Espírito.

Aquele movimento, aquela tendência, em direção a uma posição fixa está constantemente recorrendo, trazendo aquilo que é de Deus em aprisionamento, dentro de limitações organizadas que frustram todo o conselho de Deus. Tenho um artigo diante de mim - desejaria citá-lo todo, mas não posso - mas há algumas coisas nele que expressam o que está em meu coração melhor do que qualquer coisa que eu mesmo possa dizer. Foi escrito por um membro do Parlamento Britânico.

‘Há algumas classificações nas quais homens e mulheres estão divididos - tanto as classes altas, medias e baixas; ricos e pobres; religiosos, céticos e ateístas; ... e assim por diante. Mas, como penso eu, a única classificação que realmente importa é aquela que divide os homens entre os Servos do Espírito e os Prisioneiros da Organização. Esta classificação, que vai contra todas as outras classificações, é de fato a classificação fundamental. A idéia, a inspiração, surge no mundo interno, no mundo do Espírito ... a idéia tendo se corporificada a si mesma na organização, esta, então, começa a matar gradualmente a idéia que lhe deu origem. No campo da religião um profeta, um homem inspirado, irá ter uma visão da verdade. Ele expressa aquela visão da melhor forma possível em palavras. Sobre o que os discípulos entenderam da mensagem dos profetas, uma organização, uma igreja, irá ser construída. Esta mensagem compreendida pela metade irá se cristalizar num credo. Depois de muito tempo o princípio em relação a igreja irá ser usada para sustentá-la como uma organização. Para este fim qualquer desvio do credo deve ser contestado e, se necessário, suprimido como heresia. Em alguns poucos anos aquilo que foi concebido como um veículo de uma verdade nova e mais elevada se torna uma prisão para as almas dos homens. E homens estão matando uns aos outros por amor a Deus.'

‘Uma conclusão a ser tirada, não seria totalmente jocoso sugerir, deveria ser: a primeira regra para qualquer organização deveria ser uma que providenciasse a sua dissolução dentro de um período limitado de tempo ... Quando somos membros de uma organização, com tal, nossa atitude em relação a ela deveria ser de imparcialidade. Precisamos estar acima dela mesmo enquanto estivermos dentro dela. Deveríamos ser vistos como estando em quase perpétua rebelião dentro dela. Acima de tudo deveríamos considerar toda a lealdade à organização como algo provisório e experimental. Devemos ser Servos do Espírito, não prisioneiros da organização. Precisamos manter contato com as fontes da vida, não nos perder nos veículos temporários.'

'Este mundo é uma ponte. Iremos passar por ela, mas não iremos construir nenhuma casa sobre ela'.

Não é isto exatamente o que você tem em Atos e em todo o resto - a cristalização da nossa compreensão da verdade, nossa interpretação, a percepção parcial, a afirmação na carta, algo fixo, corporificando aquilo que era do Espírito de Deus no início, porém não permitindo que a coisa vá para além daquelas fronteiras agora? Qualquer coisa mais, qualquer coisa diferente daquilo, é chamado de heresia; esta é a última palavra. Ela pode estar corporificada numa organização, chamada de igreja, uma seita, uma denominação, e se você for para além daquilo, bem, falam que você está completamente errado. A grande diferença entre os homens da organização e os homens do Espírito é aquilo que você tem aqui no livro de Atos.

O Senhorio do Espírito é Essencial ao Progresso

O ponto é o seguinte: a plenitude do propósito de Deus requer que o Espírito Santo esteja continuamente no comando, que seja permitido que Ele ocupe completamente o lugar de governo, e que nós não coloquemos nada em Seu lugar - nada, seja o que for; nem 'igreja', nem uma ordem fixa - para que não venhamos a dizer: 'Isto não é o que nós ensinamos, isto não é o que fomos levados a crer, isto não é o que a nossa igreja crê e ensina'. Fazer is colocar algo no caminho do Espírito Santo. O Espírito Santo precisa estar no comando, e precisa ser livre. Foi nesses mesmos pontos que os próprios apóstolos tiveram suas primeiras batalhas e, então, seus alargamentos. Iremos ver isso na medida em que prosseguirmos. O propósito Divino pleno irá tomar forma quando o Espírito Santo assumir o controle sobre nós.

E, então, há algo infinitamente maior do que tempos e estações. Seja cuidadoso acerca dos tempos e estações; eles têm uma perniciosa maneira de nos levar para os limites. Muitas pessoas estão se apoiando em tempos e estações. Elas têm feito isso durante todo o caminho através dos séculos. Vamos observar, tomar nota, porém tomar cuidado. Coisas têm acontecido, por exemplo, na Palestina. Foi nos dito que os tempos dos Gentios terminaram quando o General Allenby entrou em Jerusalém; que um novo César tinha chegado para reconstituir o Império Romano quando Mussolini estabeleceu seu grande império em Roma! Esse tipo de coisa têm ocorrido pelos séculos, e tudo está baseado em tempos e estações.

O ponto é este - não que não haja tempos e estações, não que não haja movimentos no plano de Deus que tenham suas características peculiares e que podem ser observadas, mas que há algo infinitamente maior do que tudo isso. É o aspecto celestial e não terreno que está em vista no livro de Atos. Este é o porquê de eu permanecer neste ponto - "E dizendo Ele essas coisas, foi elevado às alturas". A partir daquele momento a coisa se tornou uma questão celestial. Mais tarde o apóstolo Paulo irá usar a seguinte frase: "O Espírito perscruta todas as coisas, até as profundezas de Deus" (I Coríntios 2:10). "O Espírito perscruta... as profundezas de Deus": isto é algo transcendentemente maior do que tempos e estações; e, se o Espírito Santo realmente está no comando, não há mistério que Deus tenha para revelar. "As coisas que os olhos não viram, e ouvidos não ouviram, e que não desceu ao coração do homem". Está lá, nesse vasto campo, ao qual o Espírito Santo nos levaria, e precisamos tomar muito cuidado para não restringirmos o Espírito Santo com as instituições constituídas por homens. Precisamos nos manter abertos ao Espírito, e é aí que nossas surpresas começam - sim, e nossa disciplina muito real.

O Mais Elevado Significado Espiritual e Celestial do Profeta

Aqueles referidos em Atos 13:27, ou aqueles a quem eles são típicos, tinham um tipo de compreensão das Escrituras. Não havia dúvida absolutamente sobre a devoção deles à Palavra de Deus. Eram fundamentalistas do tipo rabínico, em relação a inspiração das Escrituras. Eles defendiam as Escrituras; pontilhavam todos os 'I's e cortavam todos os 'T's. Muitos entre eles eram minuciosos em relação aos menores detalhes no campo da observação exterior, até mesmo ao ponto de se irritarem com coisas insignificantes. Porque a lei ordenava que um décimo de todo fruto da terra era do Senhor, eles dizimavam meticulosamente até suas moedas e ervas - mas ao mesmo tempo desprezavam as coisas que eram interiores e que interessavam muito ao Senhor, tais como justiça, misericórdia e fé. ( Mateus 23:23). Este era o entendimento deles, sua mentalidade, sua posição. Eles viam tudo no horizontal. Era uma questão de técnica exata da Escritura.

Qual foi o resultado? Bem, eles estavam perpetuando um sistema terreno com a Palavra de Deus. A 'igreja' deles era a 'igreja de Israel', a 'igreja Israelita' - e você pode colocar no lugar de Israel qualquer outro título denominacional que queira. Aquela igreja tinha suas formas peculiares, suas vestimentas, seus rituais, sua liturgia, e tudo de acordo com as Escrituras. Tinha sua leitura dos profetas todos os sábados. Tinha o sistema todo; porém pertencia a esta terra e estava tão morto quanta alguma coisa podia estar. Era puramente formal; não estava alcançando o propósito de Deus absolutamente. Escriturístico que era num certo sentido, estava fracassando em cumprir os propósitos eternos de Deus. Quando o Espírito Santo veio, Ele não ignorou os profetas, o Antigo Testamento. Ele os tomou e mostrou que havia algo mais - algo mais do que toda aquela técnica terrena, verdadeira técnica da Palavra de Deus, com todos os seus acompanhamentos - sem o qual tudo aquilo outro teria que ser colocado de lado. E será colocado de lado, pois falha em alcançar o propósito de Deus; e esta é a questão do livro de Atos - a grande transição. Há um significado Divino por trás de tudo aquilo, e quando você tem o significado Divino, você pode dispensar o outro - ele pode ir embora. Se você tem a coisa em sua esfera e significado espiritual, na forma viva e celestial, não interessa mais o outro; aquilo simplesmente se desprende e cai.

Isto é o que aconteceu no livro de Atos. Você dificilmente consegue ver o ponto em que isso acontece, mas tal ponto existe. Os apóstolos freqüentavam o templo e as sinagogas por um período, e, então, cessaram de fazer isso. Eles continuaram por um tempo, mas, então, foi como se eles estivessem quieta e firmemente se movendo para for a, e, finalmente, eles estavam for a. Algo tinha acontecido. Tinham entrado na coisa real e aquilo que era inicial tinha se ido. O primeiro levou ao segundo, porém o primeiro tinha cumprido o seu propósito. Eles entraram no benefício e significado spiritual de tudo; agora não era mais uma questão de técnica.

Há muitos que irão dizer sobre as ordens fixas e rituais: 'Naturalmente, nós não nos referimos a isto como o tudo; é apenas algo simbólico. Lembramos que isto implica e aponta para algo mais, e é neste este algo mais que estamos pensando.' Sim, mas não é verdade que, quando o Espírito Santo vem, e Ele veio então, e assume o controle, e você caminha com Ele, mais e mais as ênfases nos aspectos externos, terrenos e temporais do Cristianismo vão murchando, e você fica incrivelmente ocupado com a glória da realidade? O Jesus da história dá lugar total ao Jesus do Espírito, do Céu. Isto é exatamente o que está significado em 'as vozes dos profetas".

Assim, no dia de Pentecostes, você começou com Joel. Todos em Jerusalém estavam dizendo: "O que significa isto?" (Atos 2:12). Estavam todos confusos, sem qualquer compreensão ou percepção; e Pedro, com os onze, ficou em pé e disse: "Isto é o que foi dito pelo profeta Joel" (vs. 16). "Isto é que ..." Que vento impetuoso aquilo foi para a tradição, que sublevação aquilo criou em Israel, isto - com suas implicações de Jesus de Nazaré! E o apóstolo continuou, citando livremente a partir do Velho Testamento. Ele citou Davi. Aquele seu sermão no dia de Pentecoste estava cheio de citações do Velho Testamento. Mas quem alguma vez tinha enxergado aquilo - quem conhecia que este era o significado daquilo!

Você entende o ponto. É algo que precisa vir a nós com tremenda força, porque mesmo o Cristianismo do Novo Testamento pode ser reduzido novamente a um sistema terreno de técnica exata. Você pode escrever seus manuais de procedimentos Neotestamentários. Você pode tê-lo exatamente conforme a carta - porém é tudo sobre o plano horizontal, torna-se legalista, amarra o Espírito Santo. Embora a intenção possa ter sido ficar mais exatamente em conformidade com a Escritura, para que o Senhor possa ter um caminho mais pleno, porém nem sempre o resultado é esse. A coisa toda precisa ser batizada no Espírito Santo e ser elevada do nível terreno, tornando algo completamente celestial.

Nossa Responsabilidade é nos Rendermos ao Espírito

Penso que agora podemos corretamente dizer que, quando os discípulos perguntaram: "Senhor, é este o tempo em que irás restaurar o Reino a Israel?", eles ficaram seria e genuinamente excitados. As Escrituras devem ser cumpridas; o que foi escrito deve acontecer. Penso que os discípulos ficaram bastante ocupados com isto, sobrecarregados e perplexos; queriam saber como as coisas iriam acontecer. O Senhor disse, em efeito: 'Não se preocupem com isto. O Espírito Santo está vindo e Ele irá se encarregar de tudo - tempos, e estações, e tudo mais. Ele está vindo com o pleno propósito de Deus em Suas mãos, e Ele irá efetuá-lo. Vocês podem ficar descansados - está tudo bem'. Aqueles que têm esta idéia e concepção terrena de um sistema ficam terrivelmente preocupados e sobrecarregados para fazer que tudo aconteça - sobrecarregados com a tremenda responsabilidade desta 'Igreja do Novo Testamento', de ter as coisas exatamente como as Escrituras dizem! Se o Espírito Santo estivesse no comando, não haveria o fardo. Ele está agindo. Tudo o que nós somos chamados para fazer é ficar nas mãos do Espírito Santo, ficar completamente livre de todos os arreios, livres para o Espírito de Deus. O negócio irá dar tudo certo.

E mesmo que o Espírito Santo se levante contra algumas pedras em nós e, que por que por algum tempo haja algum conflito, Ele é mais do que imparcial aquela situação. Ele é mais do que imparcial a Pedro e o seu nunca ter comido coisa impura. Quando o Senhor deu a Pedro aquela visão do lençol descendo com todo tipo de bestas quadrúpedes e animais que rastejavam e disse: 'Levante, Pedro; mata e come". Pedro, em efeito, citou as Escrituras ao Senhor; ele citou Levítico 11, com seus mandamentos sobre animais impuros que não deveriam ser comidos. 'Senhor, aqui está a Escritura para a minha posição; minha posição está completamente baseada na Palavra de Deus!' O que você irá fazer sobre isso? Agora, ouça - eu não estou dizendo nem mesmo implicando que o Espírito Santo irá alguma vez apelar para que façamos algo contrário às Escrituras. Ele jamais irá fazer isso. Mas Ele muito freqüentemente irá nos mostrar que as Escrituras significam aquilo que nós nunca vimos que elas significassem. Levítico 11 tinha um significado que Pedro não tinha visto. Ele tinha tomado a carta e o significado literal daquelas coisas. Ele nunca viu o significado Divino e espiritual por trás daquilo. Cornélio não tinha recebido o Espírito Santo, e, por isso, um anjo falou com ele. Pedro tinha recebido o Espírito Santo no dia de Pentecoste, e foi o Espírito quem estava falando com Ele. O Espírito Santo tinha este assunto em Sua mão, e estava lidando com as dificuldades em Pedro, mesmo em seu fundamentalismo, para elevá-lo de um terreno meramente terreno e temporal para um terreno celestial. Pedro estava vivendo debaixo de um céu aberto; e há mudanças tremendas quando você chega nesta posição. Não acontece tudo de uma vez.

O Espírito Santo 'Sobre' e 'Dentro'

Apenas mais uma palavra para o momento. Você observa aqui que houve uma dupla operação do Espírito Santo. No capítulo 2, o Espírito brilhou 'sobre' eles. Essas línguas repartidas como de fogo pousaram sobre eles; e então é dito: "E foram cheios com o Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem." 'Sobre' e 'dentro'. Não quero ser técnico, contradizendo o que temos falado sobre muita técnica, mas há um significado em 'sobre' e 'dentro'. O vir 'sobre' é a soberania do Espírito Santo em relação ao propósito eterno de Deus. Isto é, o Espírito Santo chegou como o curador e administrador dos conselhos eternos de Deus, do propósito de Deus desde a eternidade, e, vindo desta maneira, Ele impõe (creio que esta não é a palavra errada a ser usada) o propósito de Deus sobre o vaso. Ele leva o vaso para dentro do propósito de uma forma soberana. É como Ele circulasse ao redor e tomasse conta do vaso de forma exterior e dissesse: 'Este é o vaso do eterno propósito de Deus.' Ele assume o controle sobre o vaso, vem 'sobre' o vaso para esta finalidade.

Mas, então, Ele também 'entrou', e eles ficaram cheios, e isto tinha um significado a mais. Significa o seguinte, que a vida interior do vaso precisa corresponder ao propósito exterior. Isto é tremendo. Você sabe, a velha dispensação não era desta forma, e este é o problema com o qual os profetas estavam lidando o tempo todo. A forma exterior estava lá. Israel tinha o seu templo, estavam oferecendo os seus sacrifícios, estavam atravessando por todo o ritual, porém a sua vida interior estava longe de corresponder aquilo. Deus tinha que dizer, através dos profetas: 'Afastai os sacrifícios - Eu não os quero!' (cf. Isaías 1:10-14). O Senhor Jesus assumiu tudo isso. "Sacrifício e oferta não quiseste, mas um corpo me preparaste; nas ofertas queimadas e sacrifícios não tivestes prazer: então venho (no rolo do livro está escrito sobre Mim) para fazer a Tua vontade, ó Deus" (Hebreus 10:5-7).

Formalismo nunca faz a vontade de Deus; é meramente um sistema externo, embora muito dele corresponda à técnica da carta, nunca satisfaz a vontade de Deus; e o Espírito Santo não estava aceitando nada disso. Ele não veio em soberania para assumir um novo povo numa nova dispensação, dando a eles formas e ordenanças, obrigando-os a fazer coisas de tal e tal maneira, meramente de forma exterior. Ele irá ter a vida interior da Igreja correspondendo ao propósito. Você descobre em breve que Ele muito severamente vem sobre qualquer coisa que não corresponda. Ananias e Zafira irão conhecer que você não pode continuar de forma exterior, fingindo que está tudo bem. O Espírito Santo viu uma contradição no interior, e não permite que aquilo continue.

Muitos querem o vir 'sobre' porque desejam sentir o poder, sentir a si mesmos possuídos, manipulados e movidos. Tem havido muito desse tipo de coisa, que não tem se conduzido sem que haja uma correspondência interior. Mas o propósito do Senhor jamais pode ser alcançado plenamente enquanto houver qualquer falta de verdadeira consistência entre o propósito de Deus e a vida da pessoa chamada para esse propósito. "Rogo-vos... que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados" (Efésios 4:1). Oh, eu realmente peço que você tenha envolvimentos contínuos com Deus nessa questão da habitação do Espírito - não apenas para propósitos de serviço, ou poder, mas para propósito de vida.

Uma das tragédias de muitos cristãos e muitos servos de Deus é este, que eles podem acreditar e dar expressão a coisas que são inegavelmente falsas, e propagar essas coisas, fazendo mal a outros cristãos ao propagá-las, e, contudo, o Espírito Santo parece nunca poder torná-los conscientes de que não estão falando a verdade. Não me refiro a ensino da Bíblia, mas em relação a outros servos de Deus, e outra obra que Deus esteja fazendo. O fato solene de que há tais preconceitos, suspeitas, críticas, distorções, e assim por diante, deveria nos levar ao Senhor com sincero apelo - 'Oh, Senhor, de nada adianta o meu envolvimento em Tua obra, fazendo uma porção de coisas para Ti, ser proeminente entre os homens, talvez, ser bem conhecido por meu serviço cristão, se, afinal de contas, após tudo, o Espírito Santo não puder me corrigir lá dentro, e me dar uma disciplina quando eu diga algo não verdadeiro. Livra-me de falar alguma coisa que não seja verdadeiro, ou de que minha vida interior seja uma contradição.' O Espírito em nosso interior é para nos ajustar ao propósito de Deus. Se nós habitualmente, constantemente, caímos em caminhos que não estejam de acordo com o Espírito, de modo que nos tornamos conhecidos por aquela coisa desagradável, seria melhor pedirmos ao Espírito Santo para realizar uma obra mais profunda em nós. De nada adianta termos coisas profundas de Deus se todos nos conhecem como a pessoa mais difícil de se conviver com ela, sempre tornando a vida desagradável para os outros. Isto não irá servir; é uma contradição à habitação do Espírito. Ele não quer que tenhamos o sistema das coisas meramente de forma exterior. Precisamos ter a vida interior correspondente.

Assim vemos que Ele veio 'sobre' para possuir visando o propósito de Deus, e Ele veio 'dentro' para fazer que tudo na vida interior corresponda a esse propósito.


[ Capítulo precedente ] [ Índice ] [ Capítulo seguinte ]