A Clínica Espiritual (1946)
por T. Austin-Sparks

Capítulo 3 - Neurastenia Espiritual

No mundo da medicina, esse mal é descrito como "uma condição de fraqueza e exaustão do sistema nervoso, dando origem a várias formas de ineficiência mental e corporal. O termo abrange um grupo heterogêneo de sintomas mal definidos, que pode ser uma expressão geral e desarranjada de todo o sistema, ou pode ser algo local, limitado a certos órgãos ".

Há uma quantidade impressionante dessa queixa hoje, e uma prevalência terrível disso entre os obreiros cristãos. Isso é significativo em várias panes espirituais, que vamos nos referir a seguir.

Antes de lidarmos com o lado espiritual, pode ser bom e útil se dissermos apenas uma palavra sobre o natural. Esse é um desses problemas tão intimamente relacionados com a mente, que forma um solo peculiarmente frutífero para o inimigo.

Por exemplo, além de quaisquer fatores espirituais, aqueles que sofrem de neurastenia estão sujeitos a muita depressão, "baixo astral" e desânimo; incapacidade de executar uma quantidade normal de trabalho mental; perda de capacidade de atenção fixa, de modo que, por exemplo, uma lista de números não possa ser somada corretamente, o ditado ou a escrita de algumas letras seja uma fonte de preocupação, pequenos detalhes sejam um esforço doloroso. A insônia é frequentemente, mas nem sempre, uma característica. Às vezes, sensações de dor, geralmente localizadas, estão presentes - uma articulação, um músculo, um tendão, um membro, a pele, os olhos; às vezes uma vertigem, quase como na meningite. Outros sintomas peculiares dessa enfermidade são especialmente interessantes, pois chegam tão perto daquilo que também caracteriza casos sobrenaturais ou demoníacos.

Em alguns casos, há um prazer malicioso em tornar as pessoas mais felizes, desconfortáveis ​​ou infelizes. Então um sintoma bem conhecido é a presença de uma outra coisa. Quando a mente está ocupada - ou se esforçando para se ocupar - outra coisa ou presença está sombreando a consciência mental como um espectro. Então, novamente, a intrusão de pensamentos incontroláveis, estranhos à vida normal e, muitas vezes, à constituição moral do paciente - causam sofrimento intenso. O desejo de fugir e fugir de todos é muito comum, e também a tendência de se atirar em desespero. De fato, os sintomas são inúmeros e variam de acordo com o grau ou forma particular da queixa. Nós só mencionamos isso porque é possível levar para o reino espiritual aquilo que não é especificamente espiritual, e relacionar ao Senhor ou ao inimigo aquilo que pode ser apenas a enfermidade deste corpo de corrupção. Pelo menos é assim que reconhecemos isso, e sabemos que nosso caso é de entendimento comum entre aqueles que o conhecem; porque um elemento muito geral desse problema é que o paciente sempre sente que é completamente incompreendido por todos.

Confusão do Natural com o Espiritual

Quando esta condição de aflição acomete alguém dentro do círculo do povo de Deus, o inimigo se torna especialmente ativo para tentar lhe dar implicações espirituais. Que angústia terrível existe exteriormente por causa da incapacidade de concentrar a mente em oração por um momento que seja! Que sofrimento por causa da depressão que é interpretada pelo “acusador” como sendo o resultado do pecado, estabelecendo assim uma falsa condenação! Que devastações, devido ao fato de ter sido dado à outra presença um caráter sinistro, como se o maligno tivesse recebido direito sobre alguém! Que angústia por causa desses pensamentos incontroláveis e estranhos! Que sensação de ter perdido a salvação, estar além do perdão; questionando toda a verdade e realidade da fé cristã, etc., etc.!

Onde podemos começar a ajudar esses aflitos?

Em primeiro lugar, digamos a todo o povo do Senhor que temos uma das mais sérias advertências contra viver a vida cristã na esfera da alma e não na do espírito. Parece que o inimigo facilitaria esse "cristianismo" em um grau tremendo. A imersão mental, emocional e volitiva nas coisas "espirituais”, à parte ou além de uma verdadeira energização do Espírito Santo, trará seu próprio Nêmesis, e o fim pode ser desespero [Nêmesis - substantivo masculino com origem no grego que indica vingança, também sendo usada com sinônimo de inimigo].

"A mente da carne é a morte; mas a mente do espírito é vida e paz." [Rm 8:6 - tradução literal da versão ARV].

Assim, diríamos que o que é verdadeiramente do Espírito permanece, e permanece quando todo o domínio da alma (natureza psíquica) e do corpo se desfaz e contradiz.

Você realmente nasceu do alto? Foi obediente à visão celestial, à luz que recebeu? Quando fracassou e caiu, você se arrependeu, confessou e fez o que poderia ser feito para produzir fruto para arrependimento? Você apelou para a eficácia do Sangue de Jesus Cristo, o Filho de Deus? Manteve contato com Deus quando convencido do erro? Então se posicione em seu espírito, mesmo contra sua própria alma e corpo, se necessário, e contra todo o inferno. Assuma o fato de que Aquele em Quem você depositou sua confiança é "maior que nosso coração" [1 Jo 3:20].

Então, uma palavra mais. Mantenha seus olhos fora. Recuse que a introspecção permaneça sobre você, sua condição, seus sentimentos, seus sintomas. Não procure por esperança em si mesmo. Não busque virtudes em seu próprio coração. Deixe de esperar qualquer bem de si mesmo, mas lembre-se de que Ele é a sua justiça, a sua segurança, a sua aceitação em Deus, o seu mérito, o seu Intercessor.


[ Capítulo precedente ] [ Índice ] [ Capítulo seguinte ]